<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Bom 2010 

Na companhia das meninas do Calendário Pirelli 2010:

Manequins: Daisy Lowe, Lily Cole, Eniko Mihalik, Miranda  Kerr, Ana Beatriz Barros, Gracie Carvalho, Georgina Stojiljkovic

Etiquetas:


Peliteiro,   às  16:41
10  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Saúde real 


Peliteiro,   às  14:48
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Mini-conto de Natal 

Ofereceram-lhe umas botas lindas, italianas, com umas solas espessas que davam um andar muito confortável e, subtilmente, uns 3 ou 4 cm de altura a mais.
Ao passar no vão das escadas lá de casa, agora de botas, mais alto, bateu violentamente com a cabeça e acabou no hospital a coser o couro cabeludo.
Moral da história: nem sempre os bens materiais dão felicidade.

Peliteiro,   às  00:09
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Câmara da Póvoa aprova aumento da factura da água 

Desde as eleições autárquicas que não escrevo sobre temas locais. De facto, fiquei profundamente enjoado, enojado, com o sórdido ambiente político, com as miseráveis personagens, com os medíocres jornalistas, com os pequenos tráficos de influência, as pressõezinhas, os recadinhos, e, sobretudo, com a cobardia, a apatia e a miopia dos eleitores poveiros.
É por isso com gosto que pergunto: Em quem votaram a 11 de Outubro? Ai sim, no bando do Macedo Vieira; então bem feito, tomem:

Foram aprovados, em reunião de Câmara, aumentos nas tarifas da água (3 %) e na taxa tratamento de resíduos (9 %) para os munícipes da Póvoa de Varzim.

Peliteiro,   às  23:43
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Carreiras Farmacêuticas: uma aposta na Qualidade em Saúde 

Prof. Franklim Marques no Qualidade Online:
«No momento actual, a regulamentação do exercício farmacêutico no âmbito do Serviço Nacional de Saúde constitui, para os farmacêuticos, um dos seus maiores reptos.
A implementação de uma carreira farmacêutica autónoma que abarque as distintas áreas de intervenção do farmacêutico integrado no Serviço Nacional de Saúde, Farmácia Hospitalar, Análises Clínicas e Genética, é uma exigência que decorre das ”boas práticas” de uma decisão politica e de saúde pública.
A formação universitária e as especializações pós-graduadas, alicerces fundamentais que suportam igualmente a estrutura das carreiras do farmacêutico no sistema europeu, conferem ao farmacêutico português as aptidões técnico-científicas, e consequentes responsabilidades, para o desempenho do seu exercício profissional que indubitavelmente têm implicações na melhoria da qualidade dos serviços prestados.
A presença do farmacêutico e o benefício das suas competências e saberes nas instituições de saúde em Portugal não constitui, pois, um custo, antes sim, uma manifestação da eficiência e da vontade em controlar gastos em saúde, aumentando a qualidade dos serviços prestados e a prossecução dos objectivos que se propõem em saúde.
Não é por acaso que o relatório final do Grupo de Trabalho de Apoio à Revisão das Carreiras de Técnicos Superiores de Saúde e dos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica, criado ao abrigo do Despacho n.º 7422/2009, de 12 de Março, sob os auspícios directos da Exma. Senhora Ministra Dra. Ana Jorge, recomenda a criação de uma carreira farmacêutica autónoma.
»

Etiquetas:


Peliteiro,   às  00:07
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Sinais dos tempos 

André Azevedo Alves, n'O Insurgente:
Há notícias que se tornam mais elucidativas se forem lidas em conjunto:

«Homossexualidade não é uma doença e não há tratamento»
Governo avança com plano-choque contra a obesidade

Peliteiro,   às  00:04
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Simples e óbvio 

«A ministra da Saúde, Ana Jorge, está preocupada com a saída dos profissionais de saúde do sistema público para o privado.»


Apenas algumas considerações:
  1. A Sra. Ministra não está preocupada com a saída dos profissionais de saúde do público para a privada, está preocupada, unicamente, com a saída dos médicos, porque sendo insuficientes há competição pelo seu trabalho.
  2. Se são em número insuficiente devem formar-se mais;
  3. E devem acabar as licenças sem vencimento prolongadas (10 anos de licença é um absurdo!): quem sai não pode voltar ao mesmo lugar. 
  4. Por outro lado, "para os captar" não se deve cair na tentação de "investir" em fórmulas manhosas de recompensa como horas extraordinárias fictícias, subsídios de assiduidade, contratos secretos, etc., etc. - que segundo consta é o que acontece actualmente, cada vez mais, envolvendo quantias consideráveis - pois a sua justeza e controlo são difíceis de conseguir e originam quase sempre situações iníquas, estas sim causadoras "de um sentimento nos profissionais de um menor ânimo e de falta de motivação".
 Que sinal quererá dar a Sra. Ministra com estas declarações? 2010 não parece ser um bom ano para grandes ajustes e aumentos de ordenado...

Peliteiro,   às  00:16
19  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Bom Natal 

Marten de Vos; 1577; maneirismo

Peliteiro,   às  12:46
10  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Ligue de imediato 112 

Enfarte e AVC ocorrem frequentemente nos meses de Dezembro e Janeiro

enfarte enfarte

Peliteiro,   às  21:57
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de Angola #6 - Kalandula 

«Tempo de continuar para o local mais desejado. O local tantas vezes pensado. As míticas Quedas de água dos Duque de Bragança. Conhecidas agora como as Quedas de Kalandula. As segundas maiores de África. Galgando novas picadas, amortecedores sempre testados para lá do impossível, à medida que nos aproximávamos a minha ansiedade aumentava. Tinha esperado tanto por este momento. Agora ali tão perto.
O som chega primeiro. O som da água. A grande distância. Vai aumentado. O nosso entusiasmo acompanha-o. Paramos a carrinha, saltamos energicamente para fora. Ainda nada tínhamos visto e já tão inebriados. O primeiro olhar acontece. Inefável e mágico. Um milagre da natureza bem à nossa frente. A força de toda a África a implodir numa detonação de água em movimento. Os meus olhos agradecem. Nunca viram nada tão belo. Mais de trezentos metros de comprimento e cento e tal de altura davam aquele lugar uma dimensão à qual os sonhos não se atreveram a chegar. Uma amálgama dos sentidos a fundirem-se num só. Não é apenas o ver, o ouvir, o cheirar. É tudo junto. É sentir. O caudal multiplica-se e desdobra-se numa infinidade de caminhos e gradação de cores em que os azuis e os verdes imperam numa plasticidade absorvente. A harmonia daquele caos em que todos os elementos parecem fazer sentido é fascinante e comovedora. O arco íris ao fundo, ao que dizem sempre presente anuncia um tesouro por descobrir, mas que eu percebo de imediato que não é mais do que o milagre de estar ali!! Entusiasmamo-nos de tal forma que damos por nós a saltitar nas últimas pedras que nos separam do abismo. Não queremos saber. Estamos em êxtase. Queremos filmar e fotografar sem parar. Queremos ver tudo. Queremos tudo. Mas a vertigem manifesta-se e desperta-nos o bom senso.
»
Ler mais AQUI.


Kalandula; Angola

Etiquetas:


Peliteiro,   às  21:37
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de Angola #5 - A caminho de Kalandula 

«O motorista vinha bem acompanhado. Uma rapariga na casa dos vinte anos, cor do chocolate mais negro que eu já vira, olhava-nos com curiosidade. Arrancamos em direcção a Kalandula que ficaria a hora e meia de caminho. Em poucos minutos , deu para perceber que o motorista de nome António, seria um guia excelente e era dotado de enormes recursos linguísticos na arte de bem falar ao coração das moçoilas. Cinquenta e cinco anos apuraram-lhe as palavras que suavemente faziam estragos como a agua na pedra dura. Um Casanova como guia. Tamanho caudal de doçura, ritmo e perspectivas, faziam os olhinhos vivos da rapariga brilhar como dois diamantes no rio Lucala. Tinha-a apanhado numa sanzala e oferecera-se para lhe proporcionar um passeio agradável. A viagem prometia.»
Ler mais AQUI.

Kalandula; Angola

Etiquetas:


Peliteiro,   às  21:26
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Vícios antigos no INFARMED 

Infarmed alega interesse público para manter aberta farmácia que atribuiu ilegalmente.

«Condenado desde Maio de 2006 pelo Supremo Tribunal Administrativo (STA) a reformular o resultado de um concurso para a atribuição de uma farmácia, o Infarmed tem resistido a acatar a decisão, mantendo em funcionamento uma farmácia ilegalmente atribuída e impedindo a farmacêutica vencedora do concurso de abrir novo estabelecimento, em Nespereira, Guimarães.
A vencedora do concurso diz que está apenas a proteger o negócio da farmácia ilegal, por razões que quer ver averiguadas. A situação torna-se ainda mais suspeita uma vez que, noutros casos idênticos, as farmácias ilegais têm sido encerradas. Há até 2 processos posteriores em que as sentenças expressamente se apoiam naquela decisão do STA, cujos concursos o Infarmed prontamente reformulou.
»

Ora, como bem se sabe, além dos dois concursos posteriores já reformulados, o INFARMED tem consentido a transferência de inúmeras Farmácias, deixando abandonadas muitas populações, quase sempre as mais necessitadas, as mais pobres, as mais isoladas, sem pensar minimamente "em razões de interesse público", como neste caso às portas de uma cidade.
O argumento usado pelo INFARMED é evidentemente absurdo e suspeito.
Mas sempre foi assim, já no tempo da Direcção Geral dos Assuntos Farmacêuticos, nos anos 60, se atribuíam Farmácias por critérios que ninguém entendia. Há coisas que não mudam...

Peliteiro,   às  13:41
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sábado, 19 de dezembro de 2009

Importa-se de repetir? 

No seguimento do in dubio pro reo no caso dos cegos do Hospital de S. Maria chega-nos do Expresso este inacreditável fragmento:

«A técnica foi buscar ao frigorífico o tabuleiro onde se encontravam cerca de 15 alíquotas (sobras de fármacos extraídos da embalagem original) e equivocada na leitura manuscrita do medicamento, pegou numa aliquota que continha Bortezomib, um citotóxico.»

Importa-se de repetir? Sobras de fármacos??? Extraídos da embalagem original??? Tabuleiro com 15 alíquotas??? Citotóxicos "à solta"??? Rotulagem manuscrita??? Esborratada? E a câmara de fluxo laminar? E a validação farmacêutica? E os 24 anos? Mas estamos a falar da Farmácia de um hospital de referência de Portugal ou da Guiné-Bissau?

PS - Quantos farmacêuticos foram admitidos no S. Maria desde que se deu esta tragédia? Porquê?

Etiquetas:


Peliteiro,   às  17:44
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Crónicas de Angola #4 

Amanhã, apresentação pública do documentário Viver ao Sul, às 10:45, no ISEPorto:

Etiquetas:


Peliteiro,   às  20:31
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Prognósticos só no fim do jogo 

Farmacêutico e uma técnica de farmácia acusados de seis crimes de ofensa à integridade física grave.

Dava muito jeito, ó se dava, que a culpa pela cegueira dos seis doentes do S. Maria ficasse confinada a um serviço lá em baixo e a dois jovens inexperientes (mesmo a intervenção simultânea em dois olhos de um doente). Mas convém não esquecer, sublinhar até, que só os Tribunais têm a faculdade de condenar.

A culpa não deve morrer solteira e não é minha intenção defender quem quer que seja. O meu interesse, como o de toda gente, é apenas que se retirem responsabilidades e consequências, ao contrário do que é costume neste país. Mas fico perplexo por num caso tão complexo e de difícil prova - a não ser que haja confissão de acto - muito rapidamente se fazer saber quem são os culpados.

Independentemente do desfecho deste caso interessa chamar a atenção para o trabalho complexo e de muita responsabilidade exercido nas farmácias hospitalares - Compatível com o experiência de dois jovens de 30 e 24 anos? Existem as condições, os meios técnicos e humanos para um bom desempenho? - e para a necessidade imperiosa de procedimentos da qualidade e do cumprimento de boas práticas - A Farmácia tem implementado e mantido um sistema de gestão da qualidade certificado? Os procedimentos documentados são sempre cumpridos? Existe um plano de formação e de integração? Os procedimentos são os adequados, são os esperados para um hospital universitário de referência? Que é isso da "designação manuscrita", é suposto haver "designação manuscrita" em formas injectáveis? Se houve um erro, que factores contribuíram para essa ocorrência, que causas? As boas práticas estão comprometidas por critérios economicistas?

Falta apurar muita matéria!... Se o Vara não é considerado culpado, porque o haverá de ser o farmacêutico Hugo Dourado (que até pode ser culpado, mas talvez não o seja sozinho, seja simplesmente o mexilhão)? Por mim, por enquanto, in dubio pro reo.


_________________________________________

PS - Vem a propósito acrescentar o exelente texto de Vladimiro Jorge Silva:
«(...) Como não conheço os serviços farmacêuticos do HSM nem o farmacêutico envolvido, não me posso pronunciar sobre o que se passou. É no entanto muito estranho que no final das contas a culpa (mediática, não necessariamente jurídica) seja apenas de duas pessoas, ao que parece, peixes menores da cadeia alimentar do maior hospital do país. Em primeiro lugar, porque a haver culpados não seriam só dois - numa farmácia hospitalar que se prezasse, o circuito daquele medicamento teria passado por vários outros profissionais, cabendo a validação final a farmacêuticos mais graduados e em segundo lugar porque não se ouvem referências à necessidade de lançar a discussão pública sobre o modo e as circunstâncias em que funcionam as farmácias hospitalares portuguesas. De facto, nos últimos anos a utilização de medicamentos em meio hospitalar tem sido abordada de uma forma gestionária e economicocêntrica. Os farmacêuticos hospitalares são (des)considerados como engulhos a um processo determinado essencialmente por critérios económicos e médicos, desperdiçando-se as respectivas competências nas áreas farmacoterapêuticas e do conhecimento farmacodinâmico e farmacocinético. Esta cultura errada tem um efeito paradoxalmente oposto, pois a pouco eficaz utilização dos medicamentos hospitalares tem um custo económico significativo, certamente muito maior que os ganhos eventualmente proporcionados pelas micropoupanças conseguidas pelos licenciados em sociologia que cortam as unhas rentes e pululam pelas administrações dos hospitais. No entanto, o que é verdadeiramente grave são as tragédias humanas provocadas pelo desinvestimento nesta área - se se provar que o HSM, o maior hospital do país, não tem um bom serviço de farmácia hospitalar, de quem é a culpa? Se isto for verdade, quem deveria estar no banco dos réus? Os anónimos e possivelmente precários funcionários de 30 e 24 anos que trabalham no HSM entre dois recibos verdes ou os administradores hospitalares que acham que a farmácia hospitalar não serve para nada?»
Ler tudo AQUI

Etiquetas:


Peliteiro,   às  23:54
12  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de Angola #3 - Um dia na Casa do Gaiato de Malange 

Uma grande família


«Ainda tem tempo de se aproximar do velho com mais de 100 anos que dormia com o seu quase tão velho chapéu do MPLA e gritar-lhe bem no ouvido: UNITA, UNITA... Aqueles 100 anos transformam-se em 15 e o velho em felino tal o salto que dá...!! E sorri. Sorriem os dois. Sorrimos todos. Arrancamos para a lagoa grande com um dos gémeos, o Jacinto como guia. Alguns metros à frente e a caixa aberta da carrinha esta à pinha. Quer tudo ir dar um mergulho na maior das lagoas da casa. Enorme. Momentos muito agradáveis de convívio e conversa com a rapaziada. As primeiras impressões. Damos depois a volta e vimos pela lagoa pequena. É ainda mais bonita. Paramos para filmar e fotografar. Mais à frente uma senhora dá banho a cinco filhos numa bacia pequena. Recebe-nos com um grande sorriso e um olá tão bem soletrado em português. Mexe connosco e faz-nos pensar. Uma conversa assim tão natural num sítio tão longínquo e improvável. Brincamos com os miúdos e com a maior naturalidade do mundo a senhora levanta-se, pega na bacia e vai atrás de um arbusto pequeno tomar grande banhoca. Tinha chegado a vez dela.»
Ler mais AQUI.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  23:10
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Fraude milionária 

O Estado essa entidade gloriosa não pára de me surpreender!

Se uma Farmácia se engana na conferência de uma data de uma receita o Estado devolve-a, irado, e não a paga. Mas se uma Farmácia, de repente, inexplicavelmente, tem "um aumento brutal de facturação" atingindo valores tão absurdos que até os próprios colegas, a ANF, o denunciam, então o Estado... nem se apercebe!
Por outro lado, em qualquer parte do mundo, em qualquer actividade, se um fornecedor engana descaradamente o seu cliente é expectável que este cliente dê por finda, antes de tudo, qualquer tipo de relação com aquele fornecedor e que nunca mais queira pagar nem um tostão a quem tanto o prejudicou; pois o Estado, na sua infindável imbecilidade, continua a ser o principal cliente da dita Farmácia e permite que continue, impertubavel, a facturar receita atrás de receita!
Ainda, ó Santa ingenuidade, Nossa Senhora da Saúde nos valha, a Polícia Judiciária - aquela eterna candidata a uma das melhores polícias do mundo, segundo critérios de não se sabe bem quem - descobriu uma fraude de 700.000 euros e considera-a uma «uma das mais gigantescas fraudes detectadas e cometidas, nos últimos anos, contra o Serviço Nacional de Saúde». Alguém diga a essas alminhas que 700.000 euros de roubalheira no SNS não é nada...

Disclaimer - Não conheço o caso e portanto aquilo que escrevi é baseado apenas nas notícias referidas. Provavelmente os colegas, como aqui, serão absolvidos.

Peliteiro,   às  00:40
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Recidivas 

Lembram-se quando Sócrates, Correia de Campos e Francisco Ramos queriam "quebrar a espinha" à ANF pela criação de um fundo financeiro que garantiria o pagamento a tempo e horas às Farmácias, eliminando assim a intermediação financeira da Associação?
Os Farmacêuticos, espertos, sabendo que o Estado é incorrigivelmente caloteiro e sabendo da importância da coesão associativa, não foram na conversa, a ANF criou a Finanfarma, o fundo ficou às moscas e os três "magistrais estrategas" do golpe abafaram a derrota humilhante com o beneplácito da mansa imprensa.

Pois bem - não consigo precisar se com as mesmas verbas disponibilizadas em Conselho de Ministros - foi entretanto também criado um fundo para pagamento à Indústria Farmacêutica. Vejam o resultado, capa de hoje do Diário Económico:
«Hospitais acumulam dívidas de mil milhões em menos de um ano. Fundo de apoio ao Serviço Nacional de Saúde está sem dinheiro.»

Peliteiro,   às  23:31
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Wellcome Image Awards 2009 

É um dos meus projectos eternamente adiados, a fotografia com microscópio. Abaixo, um belo exemplar, esta em microscópio electrónico, de um eritrócito falciforme numa drepanocitose. Esta e outras belas fotografias foram distinguidas no Wellcome Image Awards 2009, cujo site merece uma visita.


Peliteiro,   às  23:08
6  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

O advento da medicina personalizada 

Luís Almeida:
«O paradigma de desenvolvimento de novos medicamentos tem-se apoiado numa abordagem que se pode considerar de base “populacional”. A efectividade (isto é, a utilidade) clínica de um novo medicamento é considerada como demonstrada após a realização de pelo menos dois ensaios clínicos aleatorizados e controlados na população-alvo de doentes. No caso dos ensaios serem “positivos”, isto é, se demonstrarem eficácia significativamente superior do fármaco-teste face à do placebo, ou eficácia pelo menos idêntica à do comparador activo (se for esse o controlo), e se a tolerabilidade e segurança foram aceitáveis, considera-se que a relação risco/benefício é favorável e, então, o novo medicamento pode iniciar a sua comercialização. Contudo, apesar de até ao momento ainda não se ter desenvolvido melhor alternativa, o ensaio clínico aleatorizado apresenta certas limitações. A interpretação usual de um ensaio aleatorizado e controlado, comparando duas intervenções numa população e em que uma intervenção se revela “superior” à outra, é a de que a intervenção “superior” será a melhor escolha para qualquer indivíduo dessa população. Isso tem como consequência que, apesar da diversidade das características individuais, os doentes sejam tratados geralmente de modo idêntico. Ao adoptar-se a “resposta média” (que é a que, no fundo, é traduzida pelos resultados desses ensaios) como recomendação para o global da população-alvo, desvaloriza-se a importância da variabilidade individual na resposta ao fármaco, quer em termos de eficácia quer em termos de segurança. Por isso, não se podem considerar completamente surpreendentes as estimativas que apontam para que apenas 20-60% dos doentes recebam o tratamento mais efectivo e que, apenas nos Estados Unidos da América, mais de 100.000 pessoas morram anualmente devido a reacções adversas a medicamentos, constituindo uma das primeiras cinco causas de morte.
Ou seja, o actual paradigma de desenvolvimento de medicamentos não tem capacidade discriminativa satisfatória das diferenças na resposta em função das características individuais, que, conhecendo-se, permitiriam a identificação a priori dos doentes não respondedores ou dos que não toleram adequadamente o medicamento, evitando-se, assim, que o medicamento fosse prescrito a um doente com características preditivas de “não respondedor” ou de problemas de segurança. Para resolver este problema, assiste-se actualmente à emergência de um novo paradigma, a que se convencionou chamar “medicina personalizada” [Allison, 2008], que tem como objectivo proporcionar o fármaco certo, ao doente certo, na dose certa, no tempo certo (isto é, à primeira vez), conforme definido pela FDA (“right drug, right patient, right dose, right time”).»
Ler mais, AQUI.

Peliteiro,   às  23:07
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de Angola #2 - Um dia na Casa do Gaiato de Malange 


« ... Leva-nos Casa do Gaiato adentro ate á casa principal onde nos apresenta a tia Montse e o tio Bartolomeu. Um casal de espanhois que já correu mundo em regime de voluntariado. Muito simpatica a tia, serve-nos o jantar que tinha sido feito pelos miúdos. Parece que à noite são sempre eles que cozinham. Arroz com carne de vaca. Um piteu para mais aquela hora e depois de uma viagem tão longa, movidos apenas a caju. Entra o padre Eduardo que nos é também apresentado e que com grande sentido de humor, logo nos diz que pelos vistos hoje nao vai poder jantar. Estavamos a dar-lhe cabo do resto do tacho... está neste registo humorístico uma boa meia hora enquanto ao seu lado o dos patos vai contando mil histórias num frenesim indescritível. Uma dinâmica tremenda naquela sala onde o padre Americo observa com um sorriso numa foto pendurada. Um entra e sai constante de miúdos de todas as idades. Educadamente batem à porta e aparecem com tantas histórias e pedidos. A tia desdobra-se como pode enquanto o padre Eduardo e o tio Bartolomeu ripostam com um humor cirurgico todas as solicitaçoes da criançada. Sempre com o som do Adao de fundo. Isto promete. Ás tantas entra um rapaz alto, de olhar para baixo e de uma educacao extrema. É nos apresentado como o lider, o chefe, o responsável. Foi eleito para este ano pelos cento e tais gaiatos da casa. Dá para perceber porquê. Toda a organização das tarefas da casa passa por ele. Depois delega hierarquicamente por outros miúdos...»

Ler tudo, AQUI.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  23:06
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de Angola #1 - Luanda 

«Chegados finalmente a Luanda. Aeroporto Internacional. Somos imediatamente confrontados com os esquemas de sobrevivência que os empregados do aeroporto têm preparado. Uma mala puxada para um recanto, um viajante que se afasta do grupo principal e o funcionário que se dirige a ele e lhe exige gasosa para que não haja problemas. Tudo se resolve. Não vai haver problema.
(...)
Fazemos as primeiras filmagens enquanto esperamos. A simpatia do povo comove-nos. Uma hora depois a constatação que a câmara de ar não tem reparação. Há que ir comprar uma à terra mais próxima. Ao Dongo. Foi colocada mas era pequena. Comprar outra. Também pequena. Vai ter de dar assim. É colocada. É enchida. Está furada...Grande atraso na viagem. Mas tão bem passado. Tanta alegria. Tanta simplicidade. E a língua portuguesa na boca da mais pequena das crianças, do mais velho dos idosos. Sentíamo-nos em casa. Bem tinha razão o Pessoa. Lá arrancamos até Malange. Agora de vez. A casa do gaiato como destino. Uma entrada imensa. Dois guardas armados de vigia. Primeiro encontro com o Adão. Adão dos patos. Que são três e dos patos é para distinguir. Já tratou deles e a alcunha ficou. Uma alegria transbordante.»
Ler mais AQUI.


Etiquetas:


Peliteiro,   às  08:11
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Crónicas de uma viagem a Angola 

O nosso Zé Tó Passos - pintor, fotógrafo e realizador - participou num projecto muito interessante que passou pela realização de um documentário em Angola, que será apresentado no próximo Sábado, no Porto. Durante esta semana os textos, imagens e vídeo publicados no Láudano com morangos serão aqui replicados para assim podermos apreciar fragmentos desta fantástica aventura.

«Em Setembro deste ano tive a felicidade de fazer uma viagem inesquecível por terras Angolanas. Nos próximos dias vou deixar aqui no blog umas crónicas de viagem. A apresentação do Documentário será no Porto no próximo dia 19 às 10.45 da manhã como indica o convite. Apareçam que serão todos muito bem vindos...»

Etiquetas:


Peliteiro,   às  00:10
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

domingo, 13 de dezembro de 2009

Nocturna Sameiro a pé 


Correu muito bem a "Nocturna Sameiro a pé 2009". Nove participantes - mais dois que o ano passado; pela primeira vez uma mulher - num percurso de 22km - mas que parecem 100, o escadario do Bom Jesus é infindável! -, com a duração de 5 horas, entre a 1 e as 6 da manhã, com temperaturas entre os 8 e os 11ºC e vento muito frio no fim, nos pontos mais altos. Nenhuma desistência nem nenhum problema a registar.
O restaurante serviu bem - recomenda-se o Bisconde de Pindela", o bacalhau à Narcisa estava bom e o serviço é simpático e eficiente - e a jantarada foi muito agradável e "entusiasmante", assim como "entusiasmante" foi a paragem em Currelos para uma reconfortante bebida e para os últimos preparativos.
Para o ano há mais...

Ah! E os benfiquistas tem as cabeças pequeninhas como serezinas (com c de Setúbal)!
Ah! Já me esquecia! Talvez por ser habitual. Claro que o serviço móvel de apoio foi excelente e fundamental para o sucesso da expedição. Não faltou nada!

Peliteiro,   às  23:23
4  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Febre Q 

Ainda mal começou a gripe suína e já temos uma nova doença a estrelar (como dizem os Brasileiros) nos meios de comunicação social:

Netherlands reports 6 human deaths from Q fever

Para revisão da matéria, podemos começar por este excelente artigo. Ainda, caros colegas, importa recordar que estão relatados casos de infecção adquirida no laboratório por Coxiella burnetii.

Peliteiro,   às  00:19
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

World Alliance for Patient Safety 

Ena, ena! As metodologias da qualidade enfim a chegar ao SNS: A DGS espera que a "maioria dos hospitais nacionais venha a aderir" à checklist da segurança cirúrgica, proposta pela Organização Mundial da Saúde. Muito bem. Lindos meninos.
Os doentes também esperam que "a maioria dos hospitais nacionais venha a aderir"...

Peliteiro,   às  00:14
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Não há dinheiro, mas há palhaço! 

São normais as asneiras - muito normais, infelizmente - na Comissão Parlamentar de Saúde. Triste país este:


Peliteiro,   às  23:45
6  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Apoplexia 

Hoje foi notícia Medina Carreira dizendo que o programa Novas Oportunidades é uma "trafulhice" e uma "aldrabice", defendendo um regime educativo exigente como condição para a integração no mercado de trabalho.
É verdade, já o tenho dito aqui, o Novas Oportunidades é uma farsa, o ensino superior é, tantas vezes, uma negociata, e a educação, em geral, é o calcanhar de Aquiles do país. Mas, e o que dizer quando o esboroar da estrutura educativa atinge níveis profissionalizantes com impacto directo, por exemplo, na sua saúde?

Já imaginou que o Enfermeiro que o está a tratar, que está a tratar o seu filho, ou o seu pai, não obstante ser Bacharel ou até Licenciado, pode ser um analfabeto funcional, um perfeito incompetente? Pasme-se, não quero acreditar, mas é o que se pode ler num popular (ainda que pejado de erros de português) blogue de enfermeiros:

clicar


Peliteiro,   às  23:38
23  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Dei gratia 

Curioso, haver tantas opiniões favoráveis à proibição de símblos religiosos em locais públicos, tantas posições anticlericais, tantos anticristos e ninguém ter a hombridade de recusar feriados religiosos como o 8 de Dezembro, que ninguém celebra, que ninguém sabe sequer o que significa.
Por mim, acabava com o Feriado, acabava com as pontes e mandava esta malandragem toda trabalhar. Homessa!

Peliteiro,   às  21:45
6  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Equipa do ano UEFA 

Bruno Alves é actualmente o meu jogador de futebol preferido - apenas me desiludiu quando vendeu o seu apoio a Macedo Vieira nas autárquicas, mas, enfim, ninguém é perfeito. Também gosto de Cristiano Ronaldo - tem o defeito de não ser jogador do FCP, mas, enfim, talvez daqui a uns anos se emende.
Foi portanto convictamente que votei nos dois únicos portugueses que integram os candidatos à constituição da Equipa do ano 2009 da UEFA. Vote também.

Peliteiro,   às  20:18
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Tenesmo 

Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos, hoje: «Não se perde nada por não haver medicamentos em unidose», «que está a recuar nos poucos países em que ainda existe».

Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos em Abril: «Para os médicos a unidose é um enorme conforto» e «evita o desperdício».

A coerência do homem das ajudas de custo.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  19:55
10  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

As reformas de Correia de Campos 

Correia de Campos, durante muito tempo, foi considerado por muitos como o Ministro dás reformas na Saúde, o Ministro que criaria as raízes da sustentabilidade do SNS.
A mim nunca me enganou, o treteiro!
A verdade começa a vir ao de cima.


Reforma de Correia de Campos em DR

Peliteiro,   às  07:41
6  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Decanoato de anatensol 

De Filipe Nunes Vicente:

«Para mim. Uma colunista do Expresso, Inês Pedrosa - que, se bem me lembro, em tempo propôs multas ( ou prisão? ) para as pessoas que decidissem não votar -, sugere hoje tratamento psiquiátrico para quem discorda dela. A senhora é pelo casamento gay, ficando eu na desconfortável posição de concordar. Por pouco tempo.
Num saltinho a senhora Pedrosa aterra nas famílias gay. E ataca o casal heterossexual porque os modelos diversos ( pai e mãe) assentavam no pai bate e bebe e a mãe apanha e chora. Assim mesmo, mais nada, ainda que umas linhas antes se tenha queixado de que os adversários das famílias gay só pensam em sexo e poder. O Expresso é livre de pagar a quem nem sabe desenvolver um argumento. Isso não me diz respeito.
Quanto ao tratamento psiquiátrico para os que discordam, embora mais relevante, parece-me natural. Esta forma de pensar estes temas é actualmente o poder nos media. E, sendo o poder, comporta-se como os homens de antigamente que internavam nos hospícios as mulheres que deles se queriam divorciar. Não sei se no início do século passado já havia anatensol.
»

Peliteiro,   às  00:33
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Diplopia 

Tenho-me cruzado com Fernando Gomes, o da GALP, na entrada do ginásio. Sai sempre impecável, penteadíssimo, com um porte invejável, de cavalo de luxo acabado de escovar. Está numa prateleira dourada, gozando os benefícios de uma longa vida de dedicação ao serviço Público.

Dizem-me que Francisco Ramos, o suposto responsável por terem chamado mentiroso e traidor a Sócrates, terá sido nomeado para a presidência do INE. Também, autarcas derrotados foram convenientemente colocados no inútil cargo de Governadores Civis.
Não faltam exemplos de bons "empregos" como reconhecimento de mérito público.

Mas o mais grave é que estes "empregos" se perpetuam e, quase sempre, em idades mais avançadas se acumulam com chorudas reformas. É o caso, por exemplo, de Autarcas reformados, ou, agora, do Deputado europeu e ex-coveiro do SNS, que enfim terá uma reforma digna desse nome: a dele próprio, pois vai receber uma pensão no valor de 5524 euros mensais!

É imoral que, num país pobre, alguém receba chorudas reformas e ainda acumule com generosas remunerações Públicas, sobretudo sabendo que muitos não têm uma nem outra.

Peliteiro,   às  00:05
20  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

world aids day; dia mundial contra o sida

Peliteiro,   às  14:59
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.