<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


sexta-feira, 30 de abril de 2010

Jantar de curso 

Ciências Farmacêuticas 1982-88



Faculdade de Farmácia da Universidade de CoimbraSábado, 8 de Maio. Concentração na Praça da República às 17:00h.

Este ano o jantar será comum a todos os anos, na nova Faculdade de Farmácia, organizado pelo Clube de antigos estudantes da F.F.U.C..
Mais informações no evento facebook Jantar de Curso. Inscrições em gpgff@ff.uc.pt ou pelo telefone 239487383.

Passa palavra, avisa os Colegas.


Peliteiro,   às  20:31
7  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Já há adeptos do Benfica à porta do Dragão! 


Peliteiro,   às  20:09
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

PEC à portuguesa 

Quando em Janeiro o Governo anunciou que para este ano o Orçamento de Estado tinha inscrito uma ambiciosa limitação das despesas com medicamentos - «Os gastos com medicamentos em farmácias não deverão exceder a inflação para 2010 acrescida de um ponto percentual e as despesas com fármacos em hospitais não deverão ultrapassar os dois pontos acima da inflação» - eu escrevi que havia notícias que me matavam de riso de tão incríveis.


Este é um texto repetido. Hoje, mais uma gargalhada:

«O secretário de Estado da Saúde revela que, nos primeiros meses deste ano, a despesa com medicamentos em ambulatório cresceu cerca de 10% em relação a igual período do ano passado. Um cenário preocupante, admite Óscar Gaspar.»

10% é um absurdo, é 10 vezes mais que o esperado! Um descontrolo total. Um fracasso total das políticas do Ministério da Saúde.
Não sei bem como será noutros sectores de actividade, mas se for como na saúde, a situação do país é incontrolável.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  00:37
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Currículo de Jorge Torgal 

Actual Presidente do INFARMED

«Jorge Torgal era Curador da Fundação GlaxoSmithKline, gigante multinacional da indústria farmacêutica
(continua a aparecer no site da internet da Fundação GlaxoSmithKline, no Conselho de Curadores).

Peliteiro,   às  13:39
4  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Balanço do trabalho do Prof.º Vasco Maria 

Presidente cessante do INFARMED

.




.
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




Peliteiro,   às  13:34
4  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 27 de abril de 2010

No Reino dos pareceres 

O insigne Professor Jorge Mirande redigiu um parecer jurídico onde afirma que «não se vê como não possa estar prevista a especialidade de análises clínicas" e conclui que pelas razões legais e jurídico-constitucionais expostas é de "parecer que a próxima lei definidora das carreiras nos hospitais públicos deve prever a autonomização da carreira farmacêutica, com as especialidades de farmácia hospitalar, análises e genética"».

Ora não sendo eu constitucionalista, nem sequer jurista, muito menos insigne, é para mim perfeitamente óbvio não se vê como não possa estar prevista a especialidade de análises clínicas nas carreiras hospitalares. Porque os farmacêuticos analistas clínicos têm uma história de bons serviços nos serviços públicos, porque têm um presente de bons serviços na direcção dos laboratórios privado e porque têm um futuro de bons serviços por toda a Europa e por todo o mundo.
Passado, presente e futuro assegurado portanto, porque não se acaba com uma profissão por decreto. Pode fazer-se-lhe muito mal, mas mais cedo ou mais tarde precisarão de nós (este ano, dizem-me, não há nem um interno de patologia clínica em todo o país).

Não faz sentido o farmacêutico poder ser especialista e director técnico no sector privado e não ter uma carreira no público - o doente é o mesmo! E para concluir isto nem é preciso ser Professor de Direito.

Peliteiro,   às  23:59
9  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Os piores médicos trabalham no Estado 

À minha provocação «Os piores médicos trabalham no Estado» (frase do Bastonário da Ordem dos Médicos e não minha), o velho amigo Besugo responde:


resposta a um amigo

Está bem colocada a questão, Mário Peliteiro?
Os piores médicos estão no Estado?

Eu pergunto: os melhores médicos estão no Privado?
Ainda é cedo para se distinguirem essas águas, parece-me. Há, ainda, muita mistura de grelos. Uma grelada. Uma espécie de conário colectivo e ambivalente. E mesmo bivalve. Como sabe, não gosto disso por aí além. Por princípio antigo, por burrice, chame-lhe o que quiser. Não gosto.
Quer saber o que penso do que tenho visto?
1 - Há muitos bons médicos no Sistema Público. Muitos deles trabalham, também, no Sistema Privado.
2 - A figura do Contrato Individual de Trabalho, aliás, permite cada vez mais a labuta (e a dispersão) em ambos os Sistemas. Imagine que eu dirigia um departamento qualquer em que só eu estaria em dedicação exclusiva, sendo que (por hipótese) todos os outros médicos que comigo trabalhariam usufruiriam dum contrato que lhes garantiria, por 40 horas semanais em horário flexível, um ordenado um pedaço superior ao meu e, ainda por cima, sem imposição da dedicação exclusiva. Ou seja, concentrando o horário em 4 dias, poderiam exercer clínica privada na CUF, na Arrábida, na Luz, onde o Mário preferir. E considere que eu posso estar a usar o condicional apenas porque me dá mais jeito.
3 - Não estou, de facto, com veia. Isto está a sair-me mal. E sabe o que é pior? Vou continuar. Desisto muito dificilmente, sou casmurro, burro mesmo.
4 - Sabe por que é que eu toleraria que pessoas sob a minha direcção ganhassem mais que eu? Pelo simples motivo de saber que, em me sentindo eu mal assim, poderia ir negociar, em administraçãozinha própria, o meu precinho. Iria vender-me por, suponha, 6.000 euros. E mais: iria poder ganhar o que conseguisse na Privada que me contratasse. Isto supondo que alguém contrataria um tipo como eu.
5 - Já reparou como não consigo abordar este tema de forma confortável? Eu sei que sim, já jantámos juntos.
6 - E sabe por que é que me deixo estar assim? Sabe, sim. Sabe que é por acreditar que é melhor assim. E sabe, também, que só os meus amigos acreditam nisto que estou a dizer: a maioria das pessoas dividir-se-ia, se me lesse, em dois grupos. Um grupo asseguraria que sou um jerico. Outro, talvez maior, juraria a minha inaptidão - "dizes isso porque estás encostado ao Estado e lá vais ganhando e, como és fatelas e fraquinho, ninguém te contrataria fora d'Ele".
7 - Repare que, se calhar, o segundo grupo teria razão. De facto, não reconheço em mim nenhuma aptidão suplementar ou complementar que me fizesse merecer, apenas pelo meu trabalho, um privadíssimo Porsche.
8 - É por isso que me limito a ir esperando. Talvez um dia me obriguem mesmo a optar entre o Público e o Privado. E eu ficarei, até por ser mau médico, no Público. Eu e mais 1000. 1001 seremos.
9 - O Mário, está claro, em precisando, para si ou para os seus, depois escolhe.
10 - E sei que escolherá o que lhe parecer melhor. E que, se eu lhe parecer uma espécie de "resto fraco da brilhância" , não será a mim que recorrerá.
11 - Mas também sei que se me julgar capaz, virá a mim.
12 - Olhe, Mário. Eu sou seu amigo e sei que me preza. Como eu a si. E sei que não era bem assim que queria que eu lhe respondesse: sei muito bem que não me safei na prova muito melhor do que me tenho safo (não safado, acredite) na minha vida.


Peliteiro,   às  23:43
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Resumo de 6 meses de Governação socialista na Saúde 

.




.
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




 
.




Peliteiro,   às  23:21
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

domingo, 25 de abril de 2010

Não fora o 25 de Abril 

Passei o dia completamente alheado dos eventos do 25 de Abril. Não assisti às cerimónias, não ouvi discursos, nem sequer vi televisão, ouvi rádio ou li jornais, passando a tarde isolado do mundo nos confins do monte da Calcedónia à procura da sua mítica fenda. É muito mais excitante procurar uma magnífica fenda do que assistir às naftalínicas evocações de um dia que dizem ter mudado a progressão do país, mas que muitas vezes parece que deixou ficar tudo mais na mesma. E assim, ao longo do dia, olhando para o país bem de cima, sempre que me assaltava o pensamento a data dos amanhãs que cantam fui tuítando a colecção que agora vos deixo:
  • Não fora o 25/4 e hoje ainda havia portugueses sem médico
  • Não fora o 25/4 e hoje ainda havia listas de espera nos hospitais
  • Não fora o 25/4 e hoje ainda havia portugueses sem dinheiro para pagar os medicamentos
  • Não fora o 25/4 e hoje ainda havia portugueses abandonados em casas miseráveis à espera da morte
  • Não fora o 25/4 e hoje ainda Portugal estaria na cauda da Europa
  • Não fora o 25/4 e ainda hoje a Justiça estaria formatada para proteger os ricos e poderosos
  • Não fora o 25/4 e ainda hoje a comunicação social estaria concentrada em 2 ou 3 grupos
  • Não fora o 25/4 e ainda hoje a pobreza não estaria erradicada
  • Não fora o 25/4 e ainda hoje os nossos jovens seriam obrigados a emigrar
  • Não fora o 25/4 e o país viveria assolado pela corrupção
  • Não fora o 25/4 e o povo não teria habitação, seria inquilino da banca
  • Não fora o 25/4 e muitos bairros das nossas cidades seriam degradados, imundos e perigosos
  • Não fora o 25/4 e a nossa polícia não seria respeitada
  • Não fora o 25/4 e os nossos jovens não teriam acesso a ensino público de alta qualidade
  • Não fora o 25/4 e grande seria o fosso entre ricos e pobres
  • Não fora o 25/4 e reduzida seria a nossa mobilidade social
  • Não fora o 25/4 de Abril e as empresas públicas seriam abrigo de incompetentes e entreposto de tráfico de influências
  • Não fora o 25/4 e os PALOP viveriam dominados por senhores feudais, na miséria e na guerra
  • Não fora o 25/4 e viveriamos governados por mentirosos e incompetentes, suspeitos de toda a sorte de patifarias
  • Não fora o 25/4 e o nosso país estava à beira da falência
  • Não fora o 25/4 e os nossos políticos e poderosos repetiriam Ballet Rose e pedofilia sem remorso e sem castigo
  • Não fora o 25/4 e o emprego seria um privilégio
  • Não fora o 25/4 e não seria seguro sair à noite
  • Não fora o 25/4 e uma boa parte do povo não votava
  • Não fora o 25/4 e os regedores e presidentes de Câmara deste nosso país seriam muito corruptos
  • Não fora o 25/4 e a AR era uma assembleia corporativa e de interesses inconfessados
  • Não fora o 25/4 e ainda não haveria twitter

Peliteiro,   às  23:04
7  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Os piores médicos trabalham no Estado 

Só um jornal muito alinhado consegue ainda fazer manchetes com balelas ao estilo Sócrates; em 2005 e 2006 é que os socialistas podiam anunciar o maior disparate deste mundo que a imprensa, quase toda, acreditava, ampliava e difundia. Hoje o DN trazia na capa que o PS quer obrigar médicos a optar entre público e privado.
Claro que esta afirmação é uma falácia. Sabe-se hoje muito bem como o PS e o seu Governo lida com os lóbis, e conhece-se muito bem a influência dos robalos e dos nomes colectivos nestas questões. E é claro que poucas horas passadas, bastou o Bastonário Pedro Nunes tossir, e já o PS, cordato e servil, pela voz de Assis, vem negar aquela intenção, «tranquilizando os médicos» e afirmando que a «preocupação do senhor bastonário da Ordem dos Médicos pura e simplesmente não faz qualquer sentido».

É precisamente às preocupações do Dr. Pedro Nunes que eu queria chegar; segundo ele «a médio prazo, só trabalhará no Estado, que é quem pior paga, os piores médicos».
Ora, como o Estado realmente paga mal aos médicos e como, de facto, se tem verificado uma migração de médicos do público para o privado pode concluir-se que já hoje os piores médicos trabalham no Estado e que os bons já saíram, estão em vias de sair ou sairão a médio-prazo.

Tudo isto para consumar a minha provocação ao Besugo - a quem já não provoco há muito tempo - e que é um estrito "dedicação exclusiva":
«Isto mete-me uma espécie de nojo essencial. Mal ou bem, para mim bem, o SNS é a minha dama desde que me formei, desde que me iniciei no Hospital de São João nas artes de ser médico, desde que passei pelo Hospital de Ponta Delgada e aprendi que a pedra de toque do acto de aprender é a angústia de não saber e ter, ainda assim, de saber rapidamente decidir, desde que me especializei no C.H. Gaia - onde sobrevivi a uma formação feita de exigências sem rede por baixo -, desde que vim para aqui, para estes montes, há 15 anos.
Nunca trabalhei sem ser para o SNS. Em dedicação exclusiva. Pode haver quem me diga, perante isto, que sou um jerico.
»

Besugo, eu já saí dos hospitais, da função pública, em 1993!

Peliteiro,   às  00:54
9  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Cancro 

A propósito de o INFARMED considerar que mais 2 meses de vida num doente com cancro de pulmão é apenas um ligeiro benefício clínico, o colega NA deixou-nos um link absolutamente esclarecedor e aterrador:
os ajustes directos do INFARMED.

Alguns destaques: dois ajustes superiores a 200.000€, quatro superiores a 100.000€ e 22 superiores a 50.000€; Aquisição de serviços de formação em Outdoors - Motivação de Equipas, Coesão Organizacional e Comunicação Interna 67.500€; Aquisição de serviços de manutenção das plantas de interior e dos espaços verdes exteriores para os 4 Edifícios do INFARMED, I.P. 66.600€; Implementação do Guia de Prevenção e Gestão de Comunicação de Crise 59.800€; Viagem a Luanda e Alojamento 48.379€; Contratação de Serviços de “Formação em Liderança“ 48.300€; Contratação de Serviços de Clipping de alertas de rádio e televisão e recortes de imprensa 43.200€ (por este preço até este blogue deve aparecer no recortes); Viagem a Cancun Mexico e Alojamento 30.282€, etc., etc.

Peliteiro,   às  00:41
3  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Desgraçado imposto encapotado 

De Silva Garcia:

«Hoje soubemos que o Governo aprovou as portagens nas SCUT e que a medida entra em vigor no início do Verão.
A portagem na A28 é uma nova modalidade de imposto com que o Governo agrava ainda mais a vida das famílias e das empresas.
É um absurdo, um paradoxo quando se enche a boca com o desenvolvimento sustentável, um disparate contra a mobilidade e um acto contra a segurança e a qualidade ambiental dos centros urbanos que se alinham ao longo desta via.
E é um manifesto de indiferença arrogante, um gesto de vil desprezo pelos apelos de milhares de cidadãos, tanto mais intolerável quanto nem sequer se esforça por compreender as suas razões, razões de sobra que ignora para lavar a consciência.
Ser militante socialista neste momento, é experimentar, por isso mesmo, uma mágoa agravada!
Diante da surdez insensata e irritante do Governo, resta deixar que se instale o caos no centro das cidades e se potencia a raiva capaz de mobilizar, não apenas os automobilistas, mas todos os cidadãos contra esta agressão que o Governo faz ao nosso quotidiano, ao inventar-nos um novo imposto…encapotado

Peliteiro,   às  23:05
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

É excessivo na tua tia, pá! 

«Quanto ao cancro do pulmão, concluíram que apresenta apenas um "ligeiro benefício clínico" - mais 2 meses de vida - e que o custo do medicamento é "excessivo" - 2.500 € por cada ciclo de tratamento - face a este benefício

O Infarmed considera que mais 2 meses de vida num doente com cancro de pulmão é apenas um ligeiro benefício clínico!

Estas questões são complicadas e susceptíveis ao populismo fácil, reconheço; mas com tanto desperdício, unanimemente reconhecido, como consegue o Presidente do Infarmed, que não é um jovem economista mas é médico - e o Secretário de Estado da Saúde que é internista e a Ministra da Saúde que é pediatra -, concordar com esta decisão?
Eu não concordaria, eu conseguiria formas de compensar este tipo de despesas.

Peliteiro,   às  00:28
7  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Talvez mais! 

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, defendeu hoje que o Estado português pode prestar os mesmos serviços de saúde que presta actualmente gastando menos cerca de 3,5 mil milhões de euros por ano.

Bem, Passos Coelho. Bem escolhido o exemplo de como se esbanja dinheiro em Portugal.

Peliteiro,   às  14:52
4  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Queima dos espermatozóides 

Saber mais

Peliteiro,   às  14:27
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Expliquem-me como se eu fosse 

O centro de conferência de facturas de medicamentos e de meios de diagnóstico permitirá poupar 7.000.000€ por ano.

Óscar Gaspar, diz que «Vamos poupar através de uma maior eficiência, de uma base de informação ‘online', e de um acompanhamento muito mais próximo do que o existente actualmente. Por exemplo, no que se refere aos meios complementares de diagnóstico poderemos ver, em cada momento, se há excessos de análises em determinadas áreas

Poupança de sete milhões de euros por ano? Mas como? Mas como se o que muda é apenas o procedimento administrativo de conferência? Mas como se nada muda do lado da prescrição nem do lado da prestação do serviço? Apenas com mais informação? Os 7 milhões serão o valor estimado (como se estimará isto?) para a roubalheira?

Um grande negócio para uma empresa privada (e o reconhecimento de uma incapacidade do Estado), a Accenture, isso sim; quanto ao mais, distraiam-se a conferir facturas.

Peliteiro,   às  07:22
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 20 de abril de 2010

Ao que isto chega! 

Já se sabia que a semi-liberalização da propriedade de Farmácia haveria de ter como consequência o primado do lucro rápido em detrimento da ética e deontologia farmacêutica, sobretudo quando a autoridade do medicamento, o INFARMED, pouco fiscaliza, pouco regula, pouco funciona e quase nem existe.

A imagem ao lado chegou-me por correio-e, supostamente divulgada por um blogue, com indicação do nome de Farmácia de Alenquer, e deve andar a circular pelas caixas de correio de todo o país.

No entanto, julgo que tal ainda não é possível em Portugal - mas a assim continuar lá chegaremos... Fomentar o uso de medicamentos sujeitos a receita médica é ilegal.
A Mexicanização da Farmácia portuguesa, tentada pelo Governo socialista, ainda não chega a tanto (os farmacêuticos não costumam dar erros de português de palmatória - viajem -, ao contrário de outros profissionais de saúde) e julgo que isto não passa de uma brincadeira de mau gosto atentatória da confiança dos doentes nas Farmácias portuguesas e nas autoridades de saúde. Esperemos que o INFARMED actue contra os brincalhões.

Peliteiro,   às  00:49
28  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Música, eu nasci prá música 

Com o país a ferro e fogo, com o Ministério da Saúde atascado em problemas, dívidas e maus resultados - aumento de 40 % nos prejuízos dos hospitais - onde se entretém a Sra. Ministra?

A dar conferências em Estrasburgo sobre a importância da música nos serviços de pediatria!

Peliteiro,   às  23:12
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Vá de férias à Madeira 

É bom para si e para quem lá está

Fãs da Madeira

Nós já fomos e recomendamos:



Peliteiro,   às  23:21
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Manso é a tua tia, pá! 

A tia de Louçã será transexual ou Sócrates tem dificuldades de sintaxe?
De qualquer dos modos um Primeiro-Ministro não fala assim, muito menos na Assembleia da República.

Peliteiro,   às  23:19
8  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Eyjafjallajökull 

O planeta, esse rebelde...


The volcanic ash plume from Iceland, top left, to the north of Britain (11.39 GMT Thursday April 15, 2010)

AP Photo/NEODAAS/University of Dundee

Peliteiro,   às  22:03
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Rogai por nós 

«Sabemos todos quais são os gastos, os consumos e os impactos financeiros que têm muitas vezes a prescrição de exames complementares ou mesmo de alguma medicação, que não são estritamente necessários.» Ministra da Saúde Ana Jorge.

Claro que sabemos, Senhora Ministra, quais os gastos do seu Ministério que não são "estritamente" necessários. Mas não se lhe pede que rogue por nós, que implore piedade, o que se lhe pede é que seja forte e que exija por nós.
Para quando alguém decidido e capaz de um murro na mesa, para quando alguém que imponha - e não suplique - medidas de racionalidade e de combate ao desperdício e à pilhagem?

Peliteiro,   às  00:11
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Nova remumeração do farmacêutico na Bélgica 

Na Bélgica, a partir do dia 1 de Abril, a remuneração da farmácia mudou. Até essa data a remuneração dependia exclusivamente do preço do medicamento, ganhando a farmácia uma margem do preço do medicamento (tal como acontece em Portugal e na maior parte dos países europeus); agora a remuneração é atribuída tendo em consideração o papel do farmacêutico enquanto especialista do medicamento, valorizando os cada vez mais complexos conselhos e informações no âmbito dos cuidados farmacêuticos prestados aos doentes, ganhando a farmácia por acto farmacêutico:
  • Un honoraire de base de 3,88 euros pour chaque médicament délivré
  • Une marge "économique" de 6,04 % du prix fabricant (ou "ex-usine"), augmentée de 2 % au-delà de 60 euros
  • Des honoraires spécifiques pour des tâches particulières. 
    • Ces honoraires spécifiques seront à partir du 1er avril 2010 de 1,2 euro pour chaque prescription sous le nom de la molécule (en DCI) et pour chaque prescription d'un médicament en chapitre IV. Ces 2 prescriptions particulières demandent en effet au pharmacien un travail particulier d'analyse et de recherche qui doit être rémunéré.
    • De plus, un forfait annuel de 500 euros par pharmacie sera attribué en 2010 pour l'information détaillée donnée au patient lors de la 1re délivrance d'un médicament dans le cadre d'un traitement chronique.
    • Dans le futur, d'autres tâches spécifiques pourront faire l'objet d'honoraires 
    • spécifiques si la Commission de conventions organismes assureurs- pharmaciens 
    • auprès de l'Inami le décide.
Pour plus d'informations : Service de presse de Mme Laurette Onkelinx, vice-première ministre et ministre des Affaires sociales et de la Santé publique


Em Portugal o Ministério da Saúde encara o farmacêutico como "a testemunha que sabe de mais" e a Farmácia como o estabelecimento "ligado" à ANF, negociador implacável; por outro lado, a implementação de uma reforma como a que os Belgas agora iniciaram implica análise, decisão e planeamento, coisas de que o nosso Ministério é manifestamente incapaz. Assim, não se espera nada de parecido com a remuneração por acto farmacêutico em Portugal nas próximas décadas.

Peliteiro,   às  23:47
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

A queima do espermatozóide 

Onde estudar os efeitos dos excessos de álcool na espermatogénese? Na Queima das Fitas em Coimbra, claro.
Genial ideia em que participa o farmacêutico Vladimiro Silva, do blogue Estarreja Efervescente.

Para participar no estudo contacte os investigadores
Margarida Fardilha (mfardilha@ua.pt) ou Vladimiro Silva (vladsilver@gmail.com).

Peliteiro,   às  14:13
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 13 de abril de 2010

PEC à portuguesa 

Quando em Janeiro o Governo anunciou que para este ano o Orçamento de Estado tinha inscrito uma ambiciosa limitação das despesas com medicamentos - «Os gastos com medicamentos em farmácias não deverão exceder a inflação para 2010 acrescida de um ponto percentual e as despesas com fármacos em hospitais não deverão ultrapassar os dois pontos acima da inflação» - eu escrevi que havia notícias que me matavam de riso de tão incríveis.
Pois bem, aqui vai mais uma gargalhada (não tem piada nenhuma, este Governo é uma lástima e o Secretário de Estado Óscar Gaspar, o homem que verdadeiramente manda no Ministério da Saúde, a promessa e a esperança de um Ministério operante, começa a revelar sinais de estar, também ele, enredado, atascado no lodaçal):

Em Janeiro de 2010 os encargos do SNS com medicamentos aumentaram 8% !!!

Etiquetas:


Peliteiro,   às  13:27
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Cidinha Campos 

Recebi de vários amigos, muitos, mensagens de correio-e com o vídeo de Cidinha Campos. Estando eu na Póvoa de Varzim e em Portugal não podia deixar de replicar este sucesso da www:


Peliteiro,   às  13:21
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

domingo, 11 de abril de 2010

O programa segue dentro de momentos 

Caros leitores: O blogue ainda não acabou nem está moribundo (embora com a inércia desta Ministra da Saúde os temas escasseiem), esteve apenas suspenso por uns dias; amanhã continuamos.

Peliteiro,   às  23:56
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Apito encarnado 

Liverpool 4 - Benfica 1

Etiquetas:


Peliteiro,   às  15:06
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 6 de abril de 2010

Unidose 

Sem conhecer os pormenores, congratulo-me por os políticos, enfim, contrariando populismos, adoptarem as minhas recomendações - na altura, se se lembram (seguir a etiqueta abaixo), quase contra tudo e contra todos - no que respeita à vulgarmente denominada Unidose.
Ainda, interessa analisar todo este processo de decisão para vermos "como se fazem as coisas" em Portugal...
(por telefone)

Etiquetas:


Peliteiro,   às  13:54
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

domingo, 4 de abril de 2010

Boa Páscoa 

Boa Páscoa, Aleluia, Aleluia!

Peliteiro,   às  13:04
3  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Esperem pelo ricochete 

Há atitudes que são tão absurdas que custa a serem compreendidas apenas pela óptica da incompetência. O Governo socialista e o Infarmed tomam decisões tão disparatadas que só são compreensíveis considerando interesses obscuros. A transferência de Farmácias sem a compensação por abertura de novas unidades, deixando populações sem assistência farmacêutica - populações onde a Farmácia, muitas vezes, faz de médico, de enfermeiro, de nutricionista, de psicólogo, e até de banco - é um exemplo da irracionalidade do Estado e que prejudica a imagem de toda uma classe profissional (mais cedo ou mais tarde o feitiço há-de virar-se contra o feiticeiro, pagando todos pela gulodice de alguns poucos). Por acaso o povo é sereno e habituado à bovinidade mansa de décadas de come e cala, raramente refilando:

«... a postura do Infarmed/Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, acusando esta entidade de desrespeito pela população por ter autorizado a transferência da Farmácia Centenária existente em Colos para Vila Nova de Milfontes, deixando aquela e outras freguesias vizinhas sem o serviço farmacêutico.
Consideramos tratar-se de uma situação verdadeiramente incompreensível e lamentável, porquanto a Farmácia de Colos serve uma das Freguesias do concelho que sempre teve e tem médico, a sede da farmácia tem excelentes condições logísticas e uma rentabilidade comprovada pelos mais de cem anos de funcionamento permanente.
As autarquias (Câmara Municipal e Junta de Freguesia local) não podem aceitar o encerramento da única Farmácia existente na vila de Colos, já que está em causa uma das mais antigas farmácias do concelho, uma das freguesia mais populosas do concelho, uma freguesia com escola EB 2,3 com uma população estudante de 450 alunos de todos os níveis de ensino até ao 9º ano, uma população muito idosa e de baixo rendimento, incluindo um Lar com 66 idosos, muitas dificuldades nos transportes locais para acesso a outra farmácia.
É verdadeiramente lamentável constatar-se que uma simples lei possa servir os interesses dos farmacêuticos e lesar tão gravemente o interesse de uma população.»
Ler todo o comunicado do Presidente da Câmara Municipal de Odemira.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  18:50
5  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Os custos da não qualidade 

Quando se fala de qualidade é comum referir-se de imediato os custos envolvidos na implementação e manutenção de um sistema de gestão. Ninguém se lembra é dos custos da não qualidade!

Vejamos o caso dos cegos do S.ª Maria:
Pelas notícias vindas a público presume-se que devido a falhas graves no sistema da qualidade da farmácia - nunca conseguirão provar, calculo eu, a responsabilidade de nenhum farmacêutico em particular - do melhor e maior hospital do país 1) seis pessoas ficaram cegas; 2) duas delas de ambos os olhos; 3) o Estado desembolsará centenas de milhar de euros de indemnizações; 4) a carreira de um proto-Ministro, Adalberto C. Fernandes, foi congelada; 5) last but not least, inúmeros doentes de oftalmologia, muitos diabéticos, poderão suspender ou adiar diagnósticos ou tratamentos tendo como consequência o agravamento das patologias e o aumento de custos para o SNS.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  00:05
2  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.