<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quinta-feira, 29 de maio de 2003

As nossas cidades são pobres em espaços verdes e jardins. Por isso, também não temos o hábito de os frequentar.
No Porto, a rotunda da Boavista, um dos espaços mais nobres da cidade, está permanentemente vazia, apenas passantes e uns quantos reformados sentados nuns bancos corcomidos. Devia estar mais bem cuidada, bem ajardinada, animada, com uma boa iluminação e, impecavelmente limpa e desempoeirada.
Mas não está; os prédios envolventes estão velhos e decrépitos, e o piso circundante – especialmente em dias de chuva – faz-nos lembrar Bagdad.
Agora meteram lá uma feira de velharias, com carrinhos de choque e matraquilhos e farturas. Nem sei se acho bem ou mal. Por um lado repovoa um espaço perdido; por outro não me parece compatível com uma área fulcral de uma grande cidade. Talvez seja já a pensar nos Santos populares.
Se calhar a rotunda é, de facto, a verdadeira imagem de uma cidade moribunda. É pena!


Peliteiro,   às  01:01
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

quarta-feira, 28 de maio de 2003



E já que estou a falar de trabalho, lembro-me de um episódio, passado no Verão passado.
Estava um daqueles dias de praia magníficos, sem vento, sol forte, bikinis por todo o lado, um fininho fresquinho acabado de sorver, conversa agradável. A praia, a melhor praia do mundo, a da Lagoa, na Póvoa, estava completamente lotada, não cabia nem mais uma toalha.
Eis senão quando reparo numa velhinha, praí com 80 anos, poveira típica, toda vestida de preto. Andava ao sargaço. Um trabalho difícil, é preciso entrar na água, com um utensílio tipo engaço gigante, pesado, e contra a força das ondas, puxá-lo para a areia. Depois junta-se em montes e carrega-se com uma cesta, às costas, até terra, onde está estacionado o jumento.
Ora, pode então perguntar-se, não estará aqui nada de errado? Então, aqui só os velhinhos é que trabalham? Porquê? Não será por prazer concerteza! E os filhos e netos da senhora, também estariam na praia? E será que todas aquelas barrigas ao sol estariam a gozar de um merecido descanso?
O mundo ainda é muito injusto.

Entretanto, como acabou o Jornal 2 - este telejornal e o Expresso são os meus olhos para o mundo, só sei o que se passa se for aqui noticiado - fui até à varanda fumar uma cachimbada. E lá estavam, ao largo, as luzinhas dos barcos, que devem ser de pesca artesanal. Ainda são bastantes, quer de Inverno quer de Verão.
Sabendo da dificuldade que há em arranjar quem trabalhe (andei atrás de um picheleiro aí uns 6 meses, até tive que o tratar por comendador), pergunto-me, onde se arranjará mão de obra para este trabalho?
É que é talvez, o trabalho mais difícil, que de repente me lembro. É nocturno, é perigoso e assustador (até eu que mergulho em ondas de 4 metros, em dias de marés vivas, nunca me atrevi a mergulhar no mar à noite), é fisícamente duro, é longo (não há pausas, nem um bar para beber um cafezinho) e faz-se ao sabor dos caprichos da natureza: de Inverno, com a nortada (que até arranca os cabelos e limpa o cerumen das orelhas) e com a chuva gelada tocada a vento, é inacreditável como alguém consegue trabalhar nessas condições.
Será que já há Ucranianos e Moldavos na pescaria? Nunca me apercebi.
E é um trabalho tão importante. Que seria de nós sem o peixinho fresco. Eu grelho um rodovalho com alho e folhas de carvalho que é uma especialidade!
Estes pescadores mereciam ganhar aí uns 5.000 ouros por mês, isentos de impostos.

Peliteiro,   às  23:48
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 27 de maio de 2003



Hoje estou especialmente cansado. E ainda é terça-feira!
O Presidente da Republica só deveria aprovar códigos de trabalho que contemplassem no máximo 30 horas semanais.
Agora a sério: como é possível que uma pessoa se sinta bem, consigo mesma, trabalhando apenas 40 horas por semana? E 35? E 22? E 10?
É claro que não estou a falar dos mais desfavorecidos, nem daqueles para quem um emprego é um bem precioso.
Falo é de alguns trabalhadores qualificados, especialmente dos funcionários públicos, como professores, médicos, engenheiros... ; falo também daqueles que trabalham por conta própria, como os advogados, ou até electricistas e canalizadores.
O que faz uma pessoa que chega a casa às 5 da tarde? Não é bom nem para eles; tornam-se depressivos, hipocondríacos, obesos, escrevem blogs, chateiam os filhos, gastam uma fortuna nos cafés e em cigarros e revistas de palavras cruzadas. E depois queixam-se do fim do mês!
Um trabalhador que se preze tem que trabalhar no mínimo 60 horas semanais!


Peliteiro,   às  23:32
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 


Está visto que o nosso sistema político está caduco. Os partidos políticos já tem muita pouca representatividade, o povo não se revê nos seus políticos, estes nem sequer reconhecem quem os elegeu.
Temos que criar um novo sistema, adaptado aos novos tempos. Os cibernautas serão os primeiros a fazerem-se ouvidos: PPT, Partido do Povo Trabalhador, o primeiro ciberpartido português, com um programa verdadeiramente democrático, elaborado numa lógica online.

Peliteiro,   às  00:04
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 26 de maio de 2003

Ainda bem que o Ferro não ganhou as eleições, ele é francamente fraquinho.
Se fosse "primeiro" lá teria que se demitir e lá teríamos mais umas eleições.

Peliteiro,   às  01:32
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 



Sobre o caso dos pedófilos já tudo foi dito. Doutas opiniões encheram e encherão as páginas dos jornais e os ecrans da tevê.
É preciso, no entanto, não desviarmos a atenção do objectivo principal: rapidamente julgar e condenar os criminosos; estancar o aparecimento de novos casos; ajudar as vitímas.

Peliteiro,   às  01:27
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

domingo, 25 de maio de 2003

Bombeiros mendigos 

A propósito de uma notícia sobre bombeiros, lembrei-me de quão triste é ver estes homens, valentes e importantes para todos nós, transformados em mendigos ou vendedores de rifas.
Não é que pedir seja uma vergonha ou signifique perda de dignidade, e bem sei que muitos são voluntários e independentes, mas enfim, a pedinchice sistemática destes homens nas vias públicas não me parece que seja condizente com o papel heróico que tantas vezes desempenham.
Será que os imensos impostos que pagamos não é suficiente para a autonomia financeira das corporações?

Peliteiro,   às  23:32
          Enviar este texto por mail:

 

 

 

sexta-feira, 23 de maio de 2003

Sevilha foi uma festa! Diverti-me à grande, e foi a partida mais intensamente emocionante a que já assisti.

Mas o que fará um rapaz como eu - habitualmente tão reservado e contido - a ser levado a cantar e a dançar, a colaborar nas coreografias de campo e a dar saltinhos, a gritar e a assobiar, num movimento de massas que nos transfigura e transforma. O gregarismo explicará tudo isto?

E eu que sempre defendi que não há diferenças nenhumas entre as pessoas que vivem no norte ou do sul de Portugal, que vejo poucas entre os Portugueses e os Espanhois e os Ingleses ou até mesmo os Americanos ou Australianos, que na tropa não pronunciei o "Juro morrer pela pátria" já que me parecia hipócrita e desactualizado, porque será que me senti tão orgulhoso na vitória pelo facto de ser do norte e ser Português?


Peliteiro,   às  00:23
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

terça-feira, 20 de maio de 2003

Amanhã, lá vou a Sevilha ver o FCP.
Não me parece que sejam favas contadas estes escoceses.
Estou um pouco apreensivo, e parece-me que é muito mau quando os Portugueses ficam muito optimistas. Se fosse uma final em duas mãos, o Puorto ganharia concerteza; assim, a vitória será muito difícil mas será sempre nossa !
O Alcaide de Sevilha já recebeu o Pinto de Costa, o Luís Filipe Menezes não gosta de balancetes e cola-se desavergonhadamente ao poder das bolas. O Fernando Gomes que explique como ganhou dinheiro para comprar uma casa na Marechal, ele que sempre foi um político carreirista.
O Rui Rio é um presidente coerente e corajoso e acho muito bem que não preste vassalagem aos homens do futebol. Eu como portista não quero saber de autarcas e de políticos; e como cidadão, pagador de impostos, não me interessa nada os clubes de futebol profissional. Que não se misturem as águas.
Boa sorte Portugal.

Peliteiro,   às  23:00
0  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

segunda-feira, 19 de maio de 2003

A evolução das espécies económica 

A economia é coisa de humanos; os homens são a espécie mais diferenciada no planeta, tendo desenvolvido capacidades que lhes dá enormes vantagens competitivas relativamente a outros seres vivos.
E embora a civilização desenvolvida pela espécie humana - com uma elaborada organizaçãode tarefas e funções; com um enorme número de indivíduos disseminados por todas as latitudes e climas (há pardais, ratos e portugueses em todo o mundo); com um alto domínio de ferramentas, utensílios e conhecimentos - não tenha paralelo em qualquer outra espécie na terra , as necessidades fundamentais são as mesmas de outro qualquer ser do reino animal: oxigénio, glucose e sexo. O oxigénio é um bem abundante e, por enquanto, acessível a todos sem limitações, portanto irrelevante em termos de sociedade e comportamentos. A glucose é o nutriente fundamental, o cérebro dos animais detecta e prevê a sua escassez antes de qualquer outra necessidade e emite sinais de alarme fortes; o medo da fome persegue o homem desde o início dos tempos. O sexo e a propagação dos genes, com vista à sobrevivência da espécie é um apelo imperioso, visível mesmo em comunidades onde a sobrevivência individual se encontra comprometida.
Ou seja, o que faz rolar o mundo dos humanos é exactamente o mesmo de todas as espécies e ecossistemas do planeta.
Daí, que as leis da natureza se apliquem mais do que se julga às regras da nossa sociedade. Os economistas e sociólogos dão pouca atenção às ciência biológicas; ouviram falar de Thomas Malthus e pouco mais…
Numa altura em que se fala tanto de globalização, produtividade, criação de riqueza e crise económica, a teoria da evolução das espécies e os estudos de Erasmus Darwin deveriam ser alvo de uma maior atenção.
(…continua …)

Peliteiro,   às  23:57
          Enviar este texto por mail:

 

 

 

Nas minhas noites de insónia elaboro brilhantes reflexões sobre os mais variados temas; o mesmo quando conduzo sózinho, quando trabalho fora de horas, no banho, em férias...
Ás vezes dou-as a conhecer a amigos, a conhecidos e a qualquer um que apareça. Nem sempre são muito apreciadas! Umas vezes são catalogadas como retrógradas, outras vezes como inovadoras, de esquerda, de direita, politicamente incorrectas, seguidistas, passadistas, lógicas, impraticáveis, loucas, estúpidas, sei lá o quê.
Infelizmente a maior parte delas morre no meu esquecimento.
Uma pena! Por isso resolvi editar este blog.
Não que tenha a presunção de que alguém, alguma vez, se dê ao trabalho de o ler; mas enfim, pelo menos eu daqui a uns meses poderei ler os meus pensamentos e impressões, aqui expressos espontaneamente e em bruto.
Bem bom.

Peliteiro,   às  10:51
1  Comentários pertinentes e devidamente fundamentados          Enviar este texto por mail:

 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.