<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

7 conclusões a tirar sobre a Ordem dos Médicos 

O dia de ontem foi marcado pelo anúncio de página inteira do Correio da Manhã, pago pela Ordem dos Médicos (OM). O absurdo do mesmo já foi exemplarmente evidenciado.


Eis algumas das coisas que concluo sobre a OM analisando o desenrolar da situação:
  1. A OM está a servir de ponta de lança da IF (novamente). Fixar o preço dos genéricos é regressar a tempos passados em que o débil crescimento da quota de mercado de genéricos não ameaçava a posição confortável da IF de marca. Por outro lado a IF de genéricos seria beneficiada com maior estabilidade dos preços. No curto prazo, quem perdia era o utente e o erário público. No longo prazo, provavelmente a IF de genéricos.
  2. A luta da OM é pelo poder. O mesmo poder de tempos passados em que o médico tinha total liberdade para obrigar o doente a comprar o medicamento do laboratório x em vez do y. As razões para querer esse poder são óbvias.
  3. A OM consegue contradizer-se flagrantemente na mesma frase. Ao defender a "fixação do preço dos genéricos" e impedir que sejam dispensados "medicamentos mais caros que os prescritos" está a dizer simultâneamente que os preços são todos iguais mas que há uns mais baratos (que de alguma forma são os que eles prescrevem)
  4. A OM pensa que a sua melhor hipótese passa por instrumentalizar a já saturada opinião pública para atingir os seus fins. Felizmente, mesmo que conseguissem convencer a maioria da população da veracidade das suas absurdas acusações os actuais números de poupança na área do medicamento não deixam margem para dúvida de que os medicamentos que se estão a dispensar são de facto mais baratos e a quota de genéricos está a crescer mais do que quando eram os médicos a decidir.
  5. A OM pretende defender tudo isto a custo da imagem dos farmacêuticos, dos próprios médicos e do dinheiro do utente, que seria quem iria pagar o aumento da despesa com medicamentos que inevitavelmente surgiria caso se tomassem as medidas que defende, como se verifica pelo que acontecia até há alguns anos atrás.
  6. A OM não está preocupada com a defesa dos portugueses nem com o país, mas apenas na utilização dos portugueses como estandarte na defesa dos seus próprios interesses. No seu historial já condenaram a utilização de genéricos porque eram de qualidade inferior aos de marca, de seguida reconheceram qualidade aos genéricos que eram de "confiança" (sendo que a confiança variava de médico para médico), seguiu-se nova tentativa de provar que os genéricos não são seguros por não serem bioequivalentes entre si, neste momento defendem que todos têm qualidade pois alegam que os médicos prescrevem sempre o que for mais barato, independentemente de qual for. Os argumentos variam mas o objectivo é sempre o mesmo. O tiro pode muito bem sair pela culatra, uma vez que a possibilidade de processo legal por difamação não é de descartar.
  7. A OM defende o regresso ao Status Quo e, como a história nos tem demonstrado, os defensores do Status Quo tendem a falhar redondamente os seus objectivos.

Azrael,   às  13:22

Comentários:

 

Comentários certeiros. Parabens.
Acrescentaria ainda que o Sr Bastonário prestaria um bom serviço ao País se dissesse que o valor cobrado pelos seus pares nas consultas privado roçam o obsceno. Ontem alguem comentava no DE que há medicos já a cobrar 150€ de consulta. Não posso acreditar!
OBS: Aquele senhor chamado J M Silva tem um olhar e um discurso enraivecido, próprio de quem tem problemas pessoais graves por resolver, mas quer renovar o mandato à custa de reles e rasteiras acusações a um setor já habituado a estes filmes.

 

 

 

Marquei uma consulta para o melhor oftalmologista do pais num campo de pactuação específico, com uma lista de espera considerável, para o qual pagaria 70€ com exames incluídos.
Se acha estes valores obscenos é porque ignora completamente o percurso profissional que leva um médico a dar-se ao "luxo" de os cobrar. Estamos a falar de profissionais com 15 anos de formação intensiva (faça um ano de internato complementar e verá), muitos anos de experiencia, avaliações, especializações, subespecializações, cursos com investimento significativo, muitas horas de estudo a tempo próprio e um completo sacrifício da vida pessoal. É todo esse investimento que culmina na capacidade de, em 5 minutos, fazer uma avaliação segura e profissional da sua saúde.

Em última instância é tudo uma questão de procura e oferta. Em lisboa pago 40€ por um especialista enquanto que no meio do alentejo pago 50 por um clínico geral.

De qualquer modo tudo isto estará em breve num passado distante, ao contrário do que o dr peliteiro acredita, já há desemprego médico. Os que não estão desempregados trabalham como especialistas a <1000€/mês no sistema público, com muitas dificuldades em conseguir horas no privado.
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

Um aplauso merecido, caro Azrael. Está tudo aí. Só não entende quem não quer.

Caro Anónimo, é impressionante como em 15 anos de formação intensiva não conseguem aprender nada de farmacologia e farmacocinética. Parece que é necessário rever esses curriculos...
# por Blogger GreenMan : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

eu acho que a OM tem razão, porque o que tenho assistido ultimamente nas farmacia é a que sejam aviadas ao utente os genéricos respectivos ao principio activo que o médico prescreve...e a par das marcas respectivas... e adesculpa ou é que não devia lá estar a marca na receita ou que o generico para este principio activo não existe ou foi mandado retirar do mercado, etc etc etc

# por Blogger CÁ FICO : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 


Não foi Salazar (o Abel, não o António) que disse :

-médico que só sabe de medicina nem de medicina

sabe ?...
# por Anonymous Touatopalos : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

Hoje obtive vários dados novos sobre a publicação da OM:
1.º- Um dos medicamentos referidos (Atorvastatina 40mg Azevedos)encontra-se Esgotado. Mas mesmo que assim não fosse, este mesmo produto tinha PVP de 16,87€ até Abril ultimo, dos mais caros do GH.
2.º O Perindopril 4/1.25 do Ciclum, custava ate finais de Fevereiro 2013, 11,80€, dentro do preço dos restantes.
3.º-Não sabendo as razões da 2.ª substituição, já que a primeira é obvia, é bem provavel que o utente tenha já levado dos laboratorios Sandoz e Generis, respetivamente, visto serem dos mais prescritos a nivel nacional e há 6/7 meses atras não existirem mais baratos, ou então, estar em falta e ser-lhe proposta uma alternativa aceite pelo utente. No panfleto da OM, nada é dito sobre a concordancia ou não do utente, sendo certo que o utente é livre de optar, mesmo pagando na totalidade. Acontece com frequencia este pretender manter a mesma caixinha, quando consta de outro laboratorio na receita. E está no seu direito. O médico não pode, nem deve, mandar na vontade do cidadão. É do mais elementar bom-senso. Para terminar, a OM utilizar um exemplo de um produto ESGOTADO para denegrir as farmácias e os farmaceuticos é aviltante e reles.

# por Anonymous Carlos F : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

boa tarde, eu por norma não tenho o habito de comentar neste blog, mas gostaria de deixar aqui algumas questões pertinentes.
Será que estamos a fazer as perguntas certas? dou o exemplo Sinvastatina nas dosagem quer de 20mg e 40mg via oral existem 137 marcas de genéricos, pergunto eu, isto é viável ? será que isto por um lado confunde o utente,por outro na farmácia é impossível ter estas 137 marcas de genéricos (Muitas vezes o distribuidor não tem nem metade e é necessário pedir a vários distribuidores e quase por favor) e por fim uma guerra sem sentido entre médicos e farmaceuticos.
Pergunta- Quem autorizou estas cento e poucas marcas ? será que o utente ganha com isto ? Faz sentido haver genéricos mais baratos do que pastilhas elásticas ?
# por Anonymous Asclepio : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

Quem ganha com 137 marcas é o INFARMED.
Não há nenhuma vantagem para os utentes, pois há uma evidente concertação de preços, com dezenas de marcas com o mesmo preço - a concorrência é algo que não assiste à Industria. Quanto a serem mais baratos que pastilha elástica, é bem possível que sim, os custos de produção de alguns genéricos (e não só) são irrisórios.
# por Blogger GreenMan : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

Obrigado Carlos F e GreenMan!

Só me faltou dizer que este episódio pode ter finalmente mostrado ao Ministro da Saúde de forma inequívoca quem realmente defende um futuro sustentável para o país e quem quer mais do mesmo passado de excessos, na área do medicamento.
# por Blogger Azrael : quinta-feira, setembro 19, 2013

 

 

 

GreenMan, você com tanta farmacologia e farmacocinética nem um plano terapêutico para um problema simples sabe prescrever...
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

Não batam mais no ceguinho!
Toda a gente sabe que a maioria dos médicos e farmacêuticos fazem o melhor que podem. Com o desnorte
das leis e entraves actuais até admira que façam tanto.
Maus profissionais há em todo o lado.
Agora a O.dos M. é outro assunto.
A guerra já é antiga, é até mesmo um ódio de estimação.
Julga defender assim a classe médica e como é clássico nestes casos, a melhor defesa é o ataque.
É mais fácil e conveniente ver o argueiro nos olhos dos outros...

(As greves assustam o M. da Saúde)

O dr.Peliteiro fez bem em deixar novamente postar os anónimos.
Mas atenção: haja respeito e comentários fundamentados e civilizados.
-Oliveira-


# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

Lá estamos nós a embarcar em delírios criados pelos mesmos de sempre...eu já nem lhes ligo...eu costumo dizer-lhes: se quiserem vender medicamentos, tirem o meu curso e comprem uma Farmácia!

Os que se deixam representar pelo bastonário são uns "peseteiros" e são uma vergonha para os Médicos que amam a profissão.

No outro dia estive numas Urgências, e fiquei chocado com a falta de eficiência, descaradamente propositada, para justificar 4 ou 5 profissionais quando, sem pressa nenhuma, 2 pessoas faziam o trabalho.

A falta de pudor com que alguns Médicos tratam os dinheiros públicos é simplesmente assustadora.


# por Blogger Buiça : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

Se for para fazer planos terapêuticos "chapa 4", em que doentes sucessivos saem do consultório médico em dia de urgências com a mesma terapêutica, seja para a dor das costas, seja para a gastroenterite, então não sei fazer...
Os bons farmacêuticos sabem fazer planos terapêutico, e arrisco a dizer, muito melhor. Vai de encontro à teoria de que os médicos apenas deviam diagnosticar e não deviam prescrever, apenas sugerir ao farmacêutico terapêutica para o diagnóstico feito, e através do diálogo e da colaboração profissional (palavra estranha essa para os excelsos xôr dôtores) delinearem um plano terapêutico que vá de encontro às necessidades dos doentes. Isto porque o conhecimento sobre medicamentos, que a maioria dos médicos tem, é fraquinho. Mas continuam a armar-se ao pingarelho, a julgarem-se deuses na terra....
Wake up, and smell the coffee! That ship has already sailed...
# por Blogger GreenMan : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

Os delírios da OM, vulgo, Dr. Zé Manel, vai muito além da actual prescrição e dispensa do medicamento. Portanto, nada de novo.
# por Anonymous Rita : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

A ordem dos médicos pressiona por todos os meios até à calúnia as farmácias e farmacêuticos porque:
1º -Não admite que haja quem com esforço,estudo e prática veja nas receitas que "prescrevem" os vícios, enganos e compadrios bem conhecidos.
2º -Tem o poder de incitar à greve para fazer vingar os seus pontos de vista que são alegadamente prepotentes.
3º O M. da Saúde deseja paz social que neste caso é conseguido à custa de cedências que por acaso prejudicam as farmácias.
4º A enormidado de genéricos à venda é absurda e prejudicial ao doente.
4º- É necessário a todo o custo cortar os gastos em saúde.
5º-º O tribunal num caso particular inclinou-se a favor da O. dos F.
Escandalo nunca visto, toca a retaliar.

Como vai o mundo tudo isto são tempestades num copo de água (ou tinto que faz esqueçer as desgraças)
J P.
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, setembro 20, 2013

 

 

 

Estamos em 2014, ano em que o ministro da saúde decide retirar o privilégio de prescrição a médicos e entrega-lo aos farmacêuticos. Eis que surge um doente com 35 anos, do sexo masculino, HIV-positivo com o diagnóstico médico recente de linfoma de Burkitt com envolvimento abdominal massivo. Dá entrada no hospital de dia para começar a sua quimioterapia. Á admissão apresenta um ácido úrico de 15 mg/dL,
fosfatos a 8.5 mg/dL, creatinina a
2.9 mg/dL, e potássio a 6.1 mEq/L. O médico decide então chamar o recém-farmacêutico prescritor GreenMan, e pergunta-lhe: "Dr. GreenMan, qual a acção a tomar que com mais probabilidade, reverterá o distúrbio metabólico em causa?".
# por Anonymous Anónimo : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Já agora, aproveitando o texto, "o médico decide então chamar o experiente Dr. Antunes, prescritor afamado, especialita em medicina geral no centro de saúde de Arnoso.
# por Blogger Peliteiro : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Caro Peliteiro, ao implicitamente afirmar que um médico de família de uma terra distante seria incapaz de resolver o problema, atesta à sua ignorância e à dos seus, em sequer medir o grau de dificuldade da pergunta que coloco - que diga-se de passagem, altamente simplificado para que qualquer aluno do 2º ano de medicina o pudesse resolver. Seriam poucos os desta classe que não estariam capacitados para resolver esta ficção sobre a égide do linfoma, tão certo como existem poucos farmacêuticos que não sabem o que é o AAS.
# por Anonymous Anónimo : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

O diagnóstico e a prescrição são atos médicos e devem continuar a ser (mas estou com curiosidade em relação a como se vai safar desta o Dr. greenman... Lol ... Estou a brincar não leve a mal)
Não se zanguem, não vale a pena, temos que colaborar uns com os outros e isso de bons e maus em todo o lado é bem verdade, mas tanto é para o médico de familia d centro de saude de aroso, com para o especialista do hospital de santa maria! (Como para o farmaceutico da farmacia da esquina como para o do hospital central!)
A medicina e a farmacia sao áreas complementares, mas distintas e nunca ouvi nenhum médico querer passar por farmaceutico. A questão dos genericos e da prescrição não tem que ver como isso, mas sim como um sistema absoutamente desregulado, como já foi aqui dito, com N marcas de genericos, etc, etc.
Quanto a ganhar dinheiro com a venda de genericos eu não resisto a perguntar aos colegas farmaceuticos - nunca vos propuseram X em troca da venda de mais medicamento do genérico Y? E isto em numa escala de centenas de embalagens? Estou apenas a perguntar.
Para terminar, se o probl é a ordem dos médicos porque é que a ordem dos farmaceuticos não se manifesta?
# por Anonymous Anónimo : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Sim, tal como acontece no aprovisionamento de um hospital, ou num qualquer outro negócio, é mais vantajoso adquirir mil embalagens de um genérico do mesmo laboratório do que 250 de quatro diferentes. É mais vantajoso em condições comerciais, em logística e em armazenamento e na gestão de stocks.

A diferença é que a farmácia não pode obrigar nenhum utente a levar o genérico da marca x em vez da y se este não desejar. O médico pode.

Outra diferença é que a farmácia não pode mudar a o princípio activo que vai dispensar para vender mais dessas mil caixas que adquiriu. O médico pode. Já assisti a um caso em que o médico prescreveu principio activo A da marca X. Estava esgotado. Ao telefone com o farmacêutico, pede-lhe então para dispensar o princípio activo B, desde que fosse da marca X. Inqualificável.

Por fim, é suposto a farmácia ganhar dinheiro com genéricos e todos os outros medicamentos. É essa a sua forma de subsistência. Tal como é suposto o médico ganhar dinheiro com o serviço que presta.

Percebe agora porque é legítimo a farmácia ganhar dinheiro com a dispensa de medicamentos e o médico não? Mais importante, que isso, percebe que é assim que fica salvaguardada a independência na prescrição e a saúde do utente?
# por Blogger Azrael : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Dr. Anónimo,
Não sei a resposta ao seu problema, dado que a minha área de especialização não é farmácia clínica, mas tenho a certeza que haverá colegas em qualquer hospital que lhe resolvem a pergunta com a mesma eficácia que um médico. E se é assim uma coisa tão simples, pode perfeitamente ser delegado noutro profissional, ou não? Há ou não há situações em que um farmacêutico, ou enfermeiro poderiam prescrever? Há com certeza. E quando entramos na questão dos doentes crónicos, que têm mais acompanhamento na comunidade do que no hospital,então nem se percebe porque é que essa prescrição não pode acontecer. Tantos exemplos por esse mundo de como implementar uma solução destas, e nós ainda andamos a discutir se o farmacêutico pode ou não mudar a marca do genérico que foi prescrito... estamos na idade da pedra dos cuidados multidisciplinares.

# por Blogger GreenMan : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Se acha que é preciso ser "farmacêutico clínico" (algo praticamente inexistente em Portugal)para responder a um problema fictício, simplificado e que qualquer aluno de medicina seria capaz de resolver, então estamos conversados quanto ao conhecimento farmacoterapeutico dos farmacêuticos.
# por Anonymous Anónimo : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Okapa... fique lá com a bicicleta. Quando tirar a cabeça do buraco onde a meteu, diga qualquer coisa. Talvez aí dê para discutir os problemas do sistema em vez de andarmos a discutir fait-divers.
# por Blogger GreenMan : sábado, setembro 21, 2013

 

 

 

Reparei que as repercusões desta notícia nos meios de comunicação social especialmente de imprensa escrita foi grande e com o impacto na imagem dos farmacêuticos.

Como não tive tempo para ver TV, não sei o impacto.

Tendo argumentos bem estruturados às vezes é preciso combater fogo com fogo, mas sempre com bom senso.
# por Anonymous Who Cares : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Realmente isto de ser anonimo nã está com nada! Eu sou a anonima que tentei brincar com a situação e pedir ao dr. GreenMan que respondesse ao probl clinico, não fui eu que fiz os comentários posteriores (muito mais idiotas...)
Sim temos que trabalhar em conjunto, temos que ser bons cientificamente, ser empaticos com doente e com os colegas e ser honestos. No fundo se calhar é isso...
Quanto aos enfermeiros prescreverem ou os farmaceuticos prescreverem, sinceramente nao me levem a mal os enfermeiros, mas preferia ver farmaceuticos, nao a prescrever mas por exemplo a prolongar medicacao cronica. Nada contra os enfermeiros, as vezes tem mais senso clinico que muitos colegas meus e até mais olho para o diagnostico, mas nao tem a formacao toda, podiam ter mas aí nao eram enfermeiros, eram médicos. A mesma coisa com o resto se o farmaceutico souber tdo de medicina nao é farmaceutico, é medico. Se o médico souber tudo de farmacocinetica, farmacodinamia e dispensa de medicamentos, é farmaceutico. São curso apesar de tudo com cadeiras diferentes, com formas de ensino diferentes e com atuação diferente. O sr. Farmaceutico sabe auscultar, fazer exame fisico e interpretar sinais e sintomas? Ou escolher exames complementares, interpreta-los e dar o prognostico da doença, risco para os familiares ou conviventes, implicacoes noutros orgaos e sistemas? Não, mas não tem mal e nem é isso que se espera do farmaceutico, porque é que se espera do médico. Do farmaceutico eu espero que saia outras coisas, da área especifica do medicamento, e por isso é que são complementares.
A especialização tem essa vantagem, cada um deve ser bom na sua área e interagir com os outros no que os outros são bons.
Agora só um a parte, dr. GreenMan, ao probl clinico proposto não é estranho que o farmaceutico nao soubesse responder porque falta o diagnostico do disturbio - e o exame fisico do doente - que de facto só o médico tem treino, conhecimentos e formação para diagnosticar. Se eu lhe perguntar como se prepara uma emulsão, um citotóxico na camara de fluxo laminar, quais as particularidades da nutrição parentérica, se posso misturar gluconato de calcio em SF ou em D5W, ou vários medicamentosmsem risco de precipitação, o farmaceutico faz um brilharete e o médico fica às aranhas - eu não, porque pergunto ao meu irmao farmaceutico, lol - da mesma form que tb não espera que um enfermeiro saiba responder a essas perguntas, embora eles tb preparem alguma medicação. No mesmo sentido, eu tb não percebo nada de pensos e cuidados de feridas, não se que produtos aplicar se comçar a aparecer tecido de granulação, nem sei qual é o aspeto do arginato de prata, sou azelha a fzer punçoes venosas perifericas - embora tenha muito treino em cateteres centrais - e ia causar grande sofrimento se tentasse algaliar alguém... Por isso somos todos complementares!
Rosa
# por Anonymous Anónimo : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Quem fez a questão clínica fui eu (sexo masculino, o problema está mais que diagnosticado, só falta a terapêutica. Acho que a Rosa percebe pouco de medicina e farmácia.
# por Anonymous Dr Anonimo : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Ai sim? Então, como se se chama o disurbio em causa? E quais os diagnosticos diferenciais?
E por fim, dr.Anonimo-que-nem-assim-dá-a-cara, qual o tratmento que propoe, tendo em conta que nem olhou para o doente e portanto nem prestou atenção a uma série de aspetos q vão ter repercussão nas opções terapeuticas propostas.

E desculpem ao demais leitores do log, esta estupida discussao, mas de facto sao médicos destes (ou aspirantes a tal, q é o q m parece...) q mancham a classe.

A discussão nem tinha nada a ver com isto...

Rosa
# por Anonymous Anónimo : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Estamos obviamente a falar de um síndrome de lise tumoral, um grupo de distúrbios metabólicos causado por libertação do conteúdo intracelular (i.e. fosfatos e potássio) com o consequente aumento do metabolismo das purinas, levando a hiperuricemia. Surge habitualmente após o inicio da quimioterapia (lógico) e ocasionalmente de forma espontânea em doentes deste tipo. O acido úrico cristaliza levado a necrose tubular com falência renal oligurica. Ate lá existem diversas opções terapêuticas, todas elas de eficácia equivalente e comprovadas: soro com manitol para manter um debito urinário de 2.5 l/dia, alopurinol 300 mg/dia, bicarbonato de sódio para manter pH urinário >7 e administração de uricase recombinada.
A formulação da terapêutica flui naturalmente de um diagnostico que integra o doente de forma holística, com consideração de todos os sistemas e achados semiológicos, mas espere ai... agora o sr doente vai ter de esperar, porque tenho de chamar o farmacêutico para passar a receita para tratar um problema que ele não entende, num organismo cujo a função, disfunção e clínica ele desconhece (porque não estudou medicina). A abordagem médica do doente (e o diagnóstico, que nem sempre existe) é indissociável da terapêutica.
Minha querida Rosa, colocar um nome no final de um texto mal construído, de linguagem infantil e desprovida de mensagem, não significa que não mantenha o anonimato. Quer ver?

Dr. Carlos Manuel de Portugal e Castro Anónimo.
# por Anonymous Dr Anónimo : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

E digo mais, tendo em conta a linguagem que usa, os disparates que disse (para além de ter mentido em relação a ter colocado o simplificado caso clínico da minha autoria), tenho a certeza que está longe de ser médica.

Dr. Carlos Manuel de Portugal e Castro Anónimo.
# por Anonymous Dr Anonimo : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Caros comentadores, já todos fizemos exames suficientes.
# por Blogger Peliteiro : domingo, setembro 22, 2013

 

 

 

Sim dr. Anonimo, médico não registado na ordem dos médicos portuguesa (como é o seu caso) não pode exercer a profissão em Portugal...
# por Anonymous Anónimo : segunda-feira, setembro 23, 2013

 

 

 

Não posso crer que não percebeu que o meu nome é fictício, apenas criado para provar um ponto. Após estes anos todos a burrice humana continua a surpreender-me.

Dr. Carlos Manuel de Portugal e Castro Anónimo
# por Anonymous Dr Anonimo : segunda-feira, setembro 23, 2013

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.