<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quarta-feira, 22 de outubro de 2008

wild 

A ler, do Joaquim Sá Couto, no Portugal contemporâneo:

«Civilizar o capitalismo é como tirar uma puta da vida. Aqui no Porto, já alguns se arrependeram disso. Podemos tirar uma puta da vida, mas não podemos limpar a vida da puta.
O capitalismo é o que é. Com defeitos e borbulhas, permanece o único sistema produtivo viável. Pensar que o capitalismo pode ser "civilizado" é uma perspectiva infantil. Ou abraçamos o capitalismo e aceitamos os seus altos e baixos, as crises, as falências e o risco, ou rejeitamos o capitalismo e acolhemos a miséria.
O socialismo, atenção, não é uma alternativa ou o oposto do capitalismo. O socialismo é apenas uma perversão, uma sociopatia da laicidade, uma manifestação de impotência ou um simples devaneio juvenil

Etiquetas:


Peliteiro,   às  13:52

Comentários:

 

1 - Civilizar o capitalismo pressupõe que este sistema não é civilizado, logo vivemos numa sociedade civilizada regida por um sistema não civilizado.

2 - Capitalismo pressupõe desenvolvimento produtivo com base em capital. Existem várias formas de o interpretar:
a) no liberalismo, pretende-se que o capital esteja em mãos privadas e que o Estado não intervenha nem regule o mercado
b) no socialismo e na social-democracia, pretende-se que o capital esteja em mãos privadas e do Estado e que este regule e intervenha no mercado quando for necessário
c) no comunismo, pretende-se que o capital seja o do Estado

Ou seja, teremos, ou um capital liberal, ou um capital social ou, então, um capital comum. Tão só. E são as circunstâncias históricas e geo-estratégicas que ditam a forma de escolha, pelos povos, da gestão do capital disponível.

Claro que se percebe, vindo dum blog de Pedro Arroja, aquela perversão de conceitos ...

 

 

 

Essa definição não é a usada.
Esta sim: Capitalismo - sistema econômico, político e social no qual os agentes econômicos (empresários), proprietários dos meios de produção permitem que esta produção seja comercializada num mercado, onde as transações são de natureza monetária.
# por Anonymous Karl : quarta-feira, outubro 22, 2008

 

 

 

O capitalismo não é um bom sistema, mas ninguém inventou coisa melhor.

Lech Wałęsa
# por Anonymous Lech Wałęsa : quarta-feira, outubro 22, 2008

 

 

 

Pois.... viva então a prostituição!
# por Blogger mfc : quarta-feira, outubro 22, 2008

 

 

 

Joaquim, no Portugal contemporâneo:
«O capitalismo é a forma natural da livre organização económica em sociedade. É o resultado, diria, da natureza humana em acção. Tanto que podemos conceber que este regime de trocas sempre existiu.
Contrariamente, o socialismo é uma invenção ultramoderna, um constructivismo social, um modo de forçar os seres humanos a produzirem num enquadramento que lhes é estranho. É por isso que considero o socialismo uma perversão.
Nas sociedades socialistas a estrutura produtiva é diferente do capitalismo, mas a natureza humana permanece a mesma. Os indivíduos continuam a lutar pelos seus interesses pessoais e a competirem com os demais. Só que, como a acumulação de capital está interdita, passam a competir por poder.
Com poder, nas sociedades socialistas, é possível ascender ao consumo e até viver em grande luxo. A manada (não há cidadãos nas sociedades socialistas) esforça-se portanto por conseguir poder, com a mesma ganância e determinação que nas sociedades capitalistas os indivíduos se esforçam por enriquecer.
Portugal, enquanto País socialista, é um exemplo disto mesmo. A classe política aufere rendimentos e um estatuto superior ao comum dos mortais e, como já devem ter reparado, não há crise que os afecte. As crises, no socialismo, são para a ralé.
»
# por Blogger Mário de Sá Peliteiro : quinta-feira, outubro 23, 2008

 

 

 

Só uma dúvida, este "Joaquim Sá Couto" tem alguma coisa que ver com o "Magalhães"?
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, outubro 23, 2008

 

 

 

O Joaquim é cómico. E abusa dos "clichés", defendendo o indefensável. Quando caiu o Muro de Berlim, o meu pai (militante do PCP) também era assim. Contra todas as evidências, ele garantia que o comunismo não tinha morrido; estava apenas em crise.

O Joaquim acha que o capitalismo sempre existiu, tanto que até o confunde com regime de trocas. Para ele, o capitalismo é um regime de trocas. Estamos conversados.

Depois, o liberal Joaquim acha que Portugal é um país socialista. Bom, por este andar, a Venezuela é uma ditadura do proletariado e os EUA são um regime socialmente justo. Como Portugal é um país socialista, nós (a manada, pois no Portugal socialista não há cidadãos) estamos interditados em acumular capital e, consequentemente, passamos a competir por poder. Assim, ascendemos ao consumo e até poderemos viver em grande luxo.

E o que pensa Joaquim da natureza humana? Os indivíduos lutam por interesses pessoais e competem com os demais. Até rimou.

E se falhar o capitalismo? Não há problema. Com defeitos e borbulhas, permanece o único sistema produtivo viável e devemos (nós, a manada do Portugal socialista) resignarmo-nos. Alan Greenspan é um traidor para o Joaquim. O discurso dele que vem nos jornais desta sexta-feira não vai abalar as convicções do Joaquim. É que, ou abraçamos o capitalismo e aceitamos os seus altos e baixos, as crises, as falências e o risco, ou rejeitamos o capitalismo e acolhemos a miséria. Assim, sem mais nem menos.

Meus caros, a crise financeira provocou uma crise económica que, em 2009, pela sua dimensão global, vai abalar muitas destas convicções. Porque o que estamos a fazer é não rejeitar o capitalismo e a acolher a miséria.

Da primeira crise do capitalismo (ler livros de Charles Dickens) resultou o comunismo. As injustiças eram tais que degeneraram na Primeira Guerra Mundial e na Revolução de Outubro.

A segunda crise do capitalismo deu origem à Segunda Guerra Mundial.

Esta crise actual vai levar à falência dos EUA (e confesso que não fico nada contente com isso). O que significa o fim do Império e não vai ser de forma pacífica. A manada irá levantar a cabeça? A ocidental, duvido.

Era isto que deveria estar a ser discutido. Mas a inteligência está mais interessada em se agarrar aos últimos resquícios do capitalismo tal como o conhecíamos.

Pedro Faria
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, outubro 24, 2008

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.