<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Rico luto 

As farmácias estão de luto, pela crise no sector. Mas abriram 15 sorteios para novas farmácias, nos confins do mundo, e os apostadores já vão, dizem, na ordem dos milhares, apesar de terem que desembolsar por cada rifa 250 euros! Jogo pesado, em que o Casino, o Infarmed, ganha sempre.
Eu não tenho perfil de jogador de lerpa, por isso esperei para ver e já decidi guardar os 1.000 euros orçamentados para a jogatana.

Peliteiro,   às  10:09

Comentários:

 

Decisão sensata...gostei da expressão "confins do mundo".

Acho pouco razoável, com esta rentabilidade do sector, abrir concursos que forçosamente implicam investimento por parte dos concorrentes, vamos ver o que sai daqui...

 

 

 

É curioso que ainda ontem estive a ler o post do Peliteiro de há uns tempos atrás em que anunciava pagar meio milhão por qualquer farmácia na zona do Minho. Gostei de ler todos os comentários que foram feitos nesse post.

Eu acredito que o valor das farmácias está de facto inflacionado quando enquadrado com a situação actual.
Esta percepção errada do valor das farmácias resulta, na minha opinião de duas situações:
1 - A rentabilidade de uma farmácia há uns 10 anos atrás era qualquer coisa extraordinária, e essa imagem de negócio muito lucrativo continua enganosamente presente.
2 - A grande procura para oferta limitada. O facto que existirem um número excessivo de licenciados em ciências farmacêuticas faz com que, no caso de um farmacêutico, a diferença entre estar desempregado ou com emprego precário mal pago e por outro lado investir num negócio próprio (propriedade da farmácia) seja demasiado grande, e consequentemente, é demasiado aliciante a perspectiva de propriedade de farmácia. (nem que para isso tenha que contrair empréstimos com grandes riscos).


É devido a este segundo ponto que não me admiro com a grande procura das rifas emitidas pelo infarmed para as 15 farmácias. A alternativa a ser proprietário de farmácia é francamente má.


Eu até consideraria arriscar na compra de uma farmácia caso tivesse a perspectiva de que o valor investido na compra da mesma fosse atingido em menos de 10 anos de actividade. Mais tempo do que isso, preferiria investir no mercado imobiliário.
# por Blogger Eugénio : terça-feira, outubro 15, 2013

 

 

 

Tb preferi poupar ... Algumas nem dadas!
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 15, 2013

 

 

 

Somos dois... prefiro guardar os euros para jogar no euromilhões.
Enquanto não falirem as 600 farmácias previstas, alterarem algumas regras relativas à venda por internet, e sobretudo, a forma de remuneração (ir além das margens nos medicamentos), o investimento é demasiado arriscado e com um retorno de muito longo prazo - 10 anos é ser muito optimista - pois sempre que se pede qualquer orçamento para loja, obras, design, arquitectura, etc, assim que se sabe que é para uma farmácia, os custos disparam. A tal percepção de "negócio rentável" ainda está para durar.
Além disso, as farmácias nos confins do mundo, apesar de provavelmente terem menos apostadores, estão condenadas à partida por simples razões demográficas.
# por Blogger GreenMan : quarta-feira, outubro 16, 2013

 

 

 

Dizes bem greenman, percepção de rentabilidade.

Eugénio, sabes qual era a rentabilidade média de uma farmácia? Cerca de 3 - 4 % da facturação. Ainda achas assim tão extraordinário? E isto a partir do início da década de 80 que antes disso ninguém queria farmácias nem dadas.

Creio que os valores de venda de farmácias milionários, isso sim, eram exagerados e foram a raiz dessa percepção de grande rentabilidade que, afinal, não era assim tão grande.

Depois algum novo-riquismo devido a lucros realmente extraordinários obtidos em farmácias acima da média. O endividamento fácil aos fornecedores que está a culminar na ruína destes e das farmácias devedoras, permitia gastar mais do que realmente se ganhava, contribuindo assim para a ilusão.
# por Blogger Azrael : quinta-feira, outubro 17, 2013

 

 

 

3-4% é pessimo seja qual for o investimento, ainda para mais num investimento que requer dedicação.
# por Blogger Eugénio : quinta-feira, outubro 17, 2013

 

 

 

Está em linha com muitos outros estabelecimentos de retalho.

Eu não diria que seja péssimo, mas não é o eldorado percepcionado pela generalidade das pessoas.
# por Blogger Azrael : quinta-feira, outubro 17, 2013

 

 

 

«qual era a rentabilidade média de uma farmácia? Cerca de 3 - 4 % da facturação. E isto a partir do início da década de 80...»

Azrael, não exagere... ;)
# por Blogger Peliteiro : quinta-feira, outubro 17, 2013

 

 

 

4% de 1000000 dá 40000. Isto são dados do BDP ;)
# por Blogger Azrael : sexta-feira, outubro 18, 2013

 

 

 

Uma farmácia normal, isto é, gerida sem qualquer cuidado especial e, portanto, com muito desperdício, daria cerca de 10% de rentabilidade líquida sobre as vendas.
Hoje, andará pelos 4% ou menos.
Os dados do BDP são obviamente enviesados pelo facto de muitos custos pessoais dos proprietários serem imputados à exploração da farmácia.
Expurgando esses dados, a rentabilidade era verdadeiramente faraónica: em que negócio dava para "sacar" o que se sacava e ainda ter 10% de sobra??
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, outubro 18, 2013

 

 

 

Bem neste momento na que trabalho a rentabilidade está praticamente negativa.
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, outubro 18, 2013

 

 

 

E nas outras PMEs os custos pessoais dos proprietários não são igualmente imputados à sua exploração?
# por Blogger Azrael : sábado, outubro 19, 2013

 

 

 

Um pormenor que me esqueci.

Uma coisa é 4% de rendabilidade sobre 1 milhão de euros.

Outra coisa é sobre 800.000€

É devido à junção das duas que a rentabilidade está praticamente negativa.
# por Anonymous Anónimo : sábado, outubro 19, 2013

 

 

 

Dupla correcção e peço desculpa por andar a encher isto.

A margem desceu e as vendas desceram.
Muitos custos fixos mantiveram-se.

Rentabilidade negativa actual que actualizei os dados desde Julho.


# por Anonymous Anónimo : sábado, outubro 19, 2013

 

 

 

Pena não ter tido feedback do meu caso, em que a farmácia está com rentabilidade negativa.

A informação ficou desorganizada por falta de tempo e pressa e por isso as minhas desculpas.

Eu consigo aguentar o barco mais uns 3 ou 4 anos com esta rentabilidade.

Eu gosto do que faço. Sinto-me bem no meu local de trabalho. As pessoas da minha zona dão-me força e vontade.

Não tenho empréstimos a amortizar. Portanto não tenho margem financeira a descontar na margem normal.

Com isto apenas queria dar uma noção real de uma farmácia 30% inferior à média.

Muito haveria para dizer, mas não quero monopolizar.

Os tempos estão complicados para toda a população e as farmácias não são excepção, mas já era tempo de deixar de falar da fonte de ouro que para alguns é real.

# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 22, 2013

 

 

 

Em muitos farmácias metiam-se ou metem-se os custos dos automóveis da família, as férias, as compras de supermercado, os almoços e os jantares. Foi assim em muitos sítios e durante muito tempo. Talvez assim dessem 4% de lucros sobre as vendas. Nenhum sector tinha uma margem de lucro garantida por Lei de 20%. Ainda por cima, o maior cliente, o Ministério da Saúde pagava sempre, e por vezes com juros à ANF. Foi um período único. Não voltará nunca mais. Nenhum negócio em Portugal deu tanto dinheiro (talvez só a banca).
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

Revela desconhecimento

"Margem de lucro garantida por lei de 20%."

É mais margem bruta. Actualmente deverá estar em média nos 19%

O resto, não querendo desculpabilizar, e como foi dito anteriormente é prática comum nas PME´s

Já as compras de supermercado só se for um TOC um pouco parvo.

O resto, tirando almoços e jantares e automóvel é complicado, mas possível.

Se é assim tão bom comprem. Existem antigos postos, agora farmácias que não são muito caros. Até diria que estão perto dos 250.000€ do Peliteiro.

Se é assim tão bom concerteza que têm o retorno em menos de 10 anos.
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

"margem de lucro garantida por Lei de 20%"

Vê-se que percebe do assunto...

A margem referida é a bruta, e é daí que se pagam salários, Segurança Social, custos bancários, FSEs, etc.

Realmente, o nosso povo gosta muito de mandar bitaites sem ter noção sequer daquilo que está a dizer...
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

... e em abono da verdade a margem bruta das farmácias também não é de 20%, é de muito mais.

Eu ainda ofereço os 250.000 euros. Mas nunca apareceu ninguém.

Esta conversa das farmácias está cheia de meias verdades...
# por Blogger Peliteiro : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

Caro Peliteiro, antigo posto farmacêutico deve conseguir arranjar.

Se não forem 250.000 são 300.000

Convém é mexer-se e não esperar propostas.
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

*comprar
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 23, 2013

 

 

 

Queriam margem líquida de 20%?! Isso só se forem coisas mais "brancas", seja ele o tráfico humano, seja ele o pó, ou os submarinos.

Os TOC's arriscavam muitas vezes a colocar coisas sem sentido, porque o Fisco não chateia desde que as empresas paguem IRC. Por muito mal geridas que fossem as farmácias, sempre davam lucro.....

Claro que houve muita gente a comprar loucuras. Hoje, tudo veio ao de cima, no Colombo ou numa farmácia hospitalar.

Farmácias houve, por exemplo em Setúbal, que pagavam a um director técnico qualquer coisas como 3.500 euros, por razões....cifradas!

Dava para tudo....mas, acabou-se. O Estado faliu e deixou de financiar a luxúria.
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, outubro 24, 2013

 

 

 

Aceito e compreendo que retire o nome da farmácia, agora, é intelectualmente desonesto que continue com a ladaínha dos 250.000€. Mas os seus leitores tb já perceberam que dança conforme a música.
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, outubro 25, 2013

 

 

 

Ainda bem que aceita e compreende. Ainda por cima era mentira...

Quanto aos 250.000 € não é ladainha é pura verdade: não há nenhuma farmácia no país vendida ou à venda por 250.000 €. Nem por 500.000, talvez. Poucas por 1 milhão. Dizer o contrário é propaganda, intelectualmente desonesta.

# por Blogger Peliteiro : sexta-feira, outubro 25, 2013

 

 

 

Matusalem

O que é isso de 500.000 ou 1 milhão ?
Se não estivesse já velho para essas aventuras comprava por um milhão, mais coisa menos coisa, não importa, porque tenho a certeza, pelas minhas altas competências no que respeita a números, que passado pouco tempo a venderia por 4 ou 5 milhões.
Onde é que está a dificuldade ?
Faz-te à vida...

Matusalem
# por Anonymous Matusalem : sábado, outubro 26, 2013

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.