<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Surpreendente 

A prescrição por DCI não aumentou o consumo dos genéricos em relação aos medicamentos de marca.

Ainda não haverá tempo suficiente para tirar conclusões consistentes mas, sinceramente, a ser verdade, não tenho uma boa explicação para o insucesso da promissora medida da prescrição por DCI.
Boicotes?

Peliteiro,   às  23:35

Comentários:

 

Ainda é cedo para tirar conclusões definitivas. Receitas renováveis com prescrições de Abril e Maio ainda andam a circular. No entanto, a insuficiente prescrição é conhecida de todos. O que pode ter havido simultaneamente, é pouca substituição devido à situação económica já debatida.
Agora o choradinho das marcas e dos séniores polimedicados por parte da OM já satura! Há clínicos que mudam a marca de genérico destes doentes em consultas consecutivas. Já para não falar naqueles que mudam consoante soprou o vento nesse dia lá no centro de saúde... toda a gente sabe que esta situação é pouco sustentável para as farmácias. A opção por concurso público para todas as DCIs parece ser a mais viável.

 

 

 

Segundo dados hmR, e ao contrário do que diz a OM, a a quota de genéricos no mercado de medicamentos, em volume,em Setembro de 2012 é de 26,3% e não 25. Em maio, por exemplo, era 24,8.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Greenman, julgo que esse concurso público apesar de fazer sentido dificilmente irá para a frente pois mudará as regras a meio do jogo para os laboratórios que já investiram muito dinheiro para terem a AIM.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

O que seria de esperar quando na farmácia é ao sabor do vento. Quando o doente traz genéricos na receita mas torce o nariz ao genérico é "leve o de marca, olhe que isto é como um Mercedes e um Fiat". E quantas farmácias é que se preocupam em dizer ao doente que há alternativas genéricas? QUANTAS?! Que santinhos do pau oco.
# por Blogger Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

É rara a receita que vem só com a DCI, apesar das receitas já não poderem ser trancadas e de interpretar a receita como sendo por DCI mesmo que seja feita referência a laboratório ou nome comercial (excepto nas três excepções que permitem ao médico impedir).

Mas se vem Esomperazol 40mg x 56 [Nexium] é como eu disse no comentário anterior... Quantas farmácias vão dar o genérico? O utente assina o direito de opção e está a andar.
# por Blogger Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Nas farmácias a que costumo ir sempre me deram o genérico, mesmo quando eu ia à procura do medicamento de marca.
# por Anonymous Pedro : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

A direcção da ANF usa as farmácias associadas

Sr. Presidente da direcção da ANF/ Associados da ANF

É com muita tristeza que redijo esta carta, mas após ter recebido no passado dia 17/10/2012 a vossa comunicação, vários sentimentos senti: raiva, traição, engano, manipulação, entre outros que não interessam de momento descrever.

A direcção da ANF, nomeadamente o seu presidente, continua(m) a ser coerentes com o seu desempenho de sempre, e passo a descrever de forma semelhante à utilizada pela direcção ( mais parece uma comunicação dos regimes caídos há um bom par de anos), com frases avulso e "bombásticas", mas não sendo mais do que todos nós sabemos e sofremos:

1) Usam (em sentido perjurativo)as farmácias associadas!
2) Raramente as ouvem, e só se lembram delas quando muito necessitam.
3) A ANF continua a parecer um feudo pertencente a alguns associados, que continua a usufruir do esforço, trabalho e desempenho de todos os associados.
4) Organizaram no passado sábado, dia 13/10/2012 uma Assembleia Magna, seguida de desfile até ao Ministério da Saúde, com discursos inflamados e colegas desesperados, com as " fardas" da ANF e o depósito das chaves de algumas farmácias numa acção de marketing "ANFesco" ( bem mais do que protesto).
5) Continuam a omitir a real situação de quem querem verdadeiramente "salvar a pele", a própria ANF e as empresas em dificuldades geridas na sua maioria por elementos indicados pela Associação, que adquiriram sem consulta esmagadora dos associados, e que permitiram prejuizos de exploração de vários milhões de euros.
6) Questionado por mim, na reunião de círculo do passado dia 1/10/2012 e por outros colegas, já na Assembleia Magna de 13/10/2012, quanto ao cancelamento do adiantamento das facturas do SNS (actualmente de 20 dias) foi por todos os responsáveis da ANF, rejeitada essa hipótese de cancelamento. Ora, 4 dias depois, aí está! Voltámos à situação, que relembro os mais desatentos, de há uns anos atrás, em que recebiamos 40 dias após a emissão das respectivas facturas.
7) Nas conclusões da Assembleia Magna, nem uma palavra relativamente ao cancelamento do adiantamento do pagamento das facturas.
...
# por Anonymous Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

8) Pressão sobre os armazenistas/indústria farmacêutica para os pagamentos a 90 dias? Com que argumento? Então recebemos a 40 dias, porquê pagarmos a 90 dias? Pressão já todos ( ou quase todos) fazem. Talvez a direcção da ANF não saiba, mas os acordos particulares farmácia/ armazenista para as melhores condições ( ou as melhores possíveis) são o quê? Não são forma de pressão? Quem tem acordos feitos, com que "cara" vai agora dizer que só lhes vai pagar com mais 20/30 dias? E os amazenistas, que vivem tão mal ou pior que nós, como irão aguentar?
9) Estas medidas, na minha opinião, de pagar mais tarde, mas também de receber mais tarde escondem o quê? Sejam claros!
10) A direcção da ANF, pelo menos que se tivesse sabido ou ouvido, nada disse, nas conclusões da Assembleia Magna, quanto à redução das margens comerciais regressivas, impostas pelo Estado, (medida à qual chamo roubo). Isso, é o que eu chamo de " silêncio ensurdecedor"! Passo a explicar sucintamente, porque eu também não entendo, nem ninguém me explicou para eu entender ( sou farmacêutico, não gestor, esses estão todos na Marechal Saldanha): que o Estado determine o preço final dos medicamentos sujeitos a receita médica, poupando, ainda " dou de barato", mas que imponha margens a uma cadeia de privados ( Indústria/armazenistas/farmácias), isso eu já não entendo! A ANF disse sobre isto nas suas conclusões? Nada!
11) Que a ANF esteja, tal como todos nós, em sérias dificuldades, acredito, talvez possa questionar porquê, mas cá estamos todos para tentar encontrar ( ou não) melhores soluções, mas sempre com verdade, frontalidade e clareza, que são predicados que pelos vistos não são usados na Rua acima mencionada.

# por Anonymous Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

12) Querem reduzir custos? Quem não quer! Ora cá vai uma dica: reduzam nos consultores/funcionários ( e respectivos agregados) principescamente pagos por todos nós. ( É que o vulgar associado, como eu, não conhece, nem sabe o valor desses ordenados).
13) Querem reduzir as dificuldades das farmácias! Ora cá vão mais umas dicas: em vez de procurarem este tipo de pressão que irão colocar os associados ainda mais vulneráveis, e os nossos parceiros Armazenistas ainda em mais dificuldades, em vez de oferecerem um "rebuçado" com a questão da redução do preço dos seguros praticados com a intermediação da ANF ( quer dizer que durante anos os associados pagaram a mais a redução agora alcançada), reduzam a quota variável, diminuam custos com os serviços prestados pelas empresas pertencentes ao grupo ( quem tiver dúvidas faça uma pesquisa de mercado dos últimos anos).
14) Quota variável de 1.5%? - É bom que se saiba que o paradigma mudou, a direcção sabe-o, e os associados têm de saber! Há um par de anos, a direcção da ANF batia à porta do Ministério da Saúde, e era rapidamente ( ou imediatamente? ) recebida pelo Sr. Ministro da Saúde. Agora? Não! Talvez venha a ser recebida alguns dias depois, por um qualquer Sr. Secretário de Estado! A correr bem! E o estado, ao qual o Sr. Secretário pertence, paga as factura no dia em que a ANF irá passar a pagar à farmácia por intermédio da Finanfarma, mas sem 1.5% de quota ( e sei do que falo!). Que a ANF ( ou a Finanfarma), retenha valor pelo adiantamento, ainda entendo ( custos de financiamento), mas que sem o adiantamento fique com 1.5%, aí já não compreendo. É que parte do paradigma também vem daqui. Há alguns anos, o 1.5%, seria para saldar a gestão corrente da ANF, para incrementar capitais próprios, para fábricas de produção de genéricos, para a central de compras, etc,etc, mas então e agora? Acho que já não dá para nada! É que os valores das facturas baixaram abruptamente ( como todos nós o sentimos na pele), já não chega para o custo do factoring? E vêm dizer-nos para nós fazermos pressão? Não brinquem connosco! Já nem o " banco dos pontos" chega?
15) É que até alguns anos, muitos ( ou quase todos) se queixavam dos famigerados 1.5%, mas esse valor, que na altura era como um "encolher de ombros" ( um mal necessário) agora faz-nos muita falta, mesmo muita!

Finalizo, dizendo-vos:
A ANF é dos associados, de todos. Daqueles que "batem com a mão no peito" nas reuniões e assembleias, e também dos que contestam as decisões, e que têm opinião e caminhos divergentes. Também é minha! Sejam sinceros, ponham as " cartas em cima da mesa"! Sejam verdadeiros! Não nos usem! Não façam de nós "pastilha elástica"! Não nos lubridiem mais!

Saudações farmacêuticas,

Farmácia Confiança

Luis Miguel Narciso Silva Cardoso
Associado 8346
# por Anonymous Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Não fui eu que publiquei os 3 últimos comentários acima.
# por Blogger Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Nós sabemos , não tens nível para reflexões .
O mundo não gira à tua volta
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Ninguém vai dizer nada acerca do "lubridiem"? Onde anda a polícia da gramática e da ortografia?
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Farmacêutico (o crónico, não o que postou o testamento), você conhece o conceito de margem? Então percebe facilmente que, apesar de os genéricos serem mais baratos para o utente e para o estado, são também mais rentáveis para a farmácia na esmagadora maioria dos casos graças às melhores condições comerciais que oferecem.

Sendo assim, porque razão acredita que as farmácias preferem dispensar os medicamentos de marca? Mudou de opinião? Afinal as farmácias não são os antros sedentos de lucro que até agora descrevia? Ou simplesmente, mais uma vez, fala (inventa) acerca do que não percebe numa forma desesperada de tentar enganar quem o lê?
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

A polícia da gramática não está a punir a dislexia, fruto das austeridades...

Quanto ao concurso mudar as regras a meio do jogo... mas não é isso que tem acontecido sempre?! Não tem havido problema em mudar as regras a meio do jogo para prejudicar as farmácias. Haja coragem para afrontar a industria farmacêutica! Esta medida é uma boa medida, tendente a racionalizar (toma lá, novilingua!) o consumo de medicamentos mais caros, logo deveria ser para avançar e ontem já era tarde. Igualmente, obrigar à diminuição dos preços dos medicamentos de uso hospitalar é uma necessidade que peca já por tardia, bem demonstrada no estudo recente do Pita Barros. Só que é muito dificil, sabemos bem. Assim que se ameaçam com diminuições de preços, logo a industria ameaça com quebras de fornecimento, co-adjuvada pelo lobby dos utentes representados nas diversas associações, que "involutariamente" acabam por fazer o jogo da industria.
# por Blogger GreenMan : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

"A direcção da ANF usa as farmácias associadas"

Finalmente alguém que fala verdade e escreve um "testamento" segundo o Azrael...

Então Azrael responde lá e se tiveres coragem dá a cara como o Senhor da Farmácia Confiança fez, para sabermos quem és tu e quais os teus verdadeiros interesses...

És um dos que são "principescamente pagos por todos nós." segundo o Farmacêutico???
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

"5) Continuam a omitir a real situação de quem querem verdadeiramente "salvar a pele", a própria ANF e as empresas em dificuldades geridas na sua maioria por elementos indicados pela Associação, que adquiriram sem consulta esmagadora dos associados, e que permitiram prejuizos de exploração de vários milhões de euros."

Que grandes gestores Azrael, com o dinheiro dos outros também eu brinco!!! LOL

# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Ainda bem que o último anónimo fala de dar a cara mas não se inibe de escrever como... anónimo.

Mas ainda bem que fala do "principescamente pagos por todos nós" um ponto que me dá vontade de rir pois evidência a falta de lógica que descrevo no parágrafo acima. O associado 8346 diz que é preciso baixar os ordenados principescos e os consultores mas depois logo a seguir diz que não sabe quanto eles ganham. É de facto fantástico.

Mas era muito fácil saber. Todos os associados, comuns ou não, têm acesso ao relatório de contas da ANF, onde se encontra a demonstração de resultados, onde por sua vez se pode encontrar o valor de gastos com o pessoal e perante o qual se pode facilmente concluir que qualquer poupança obtida por essa via é puro fogo de vista (uma dica, de 2010 para 2012 baixou mais de 2 milhões de € e foi cerca de 5% das vendas e serviços prestados).

Se calhar teria custado muito pouco ao associado 8346 informar-se antes de escrever o tal "testamento".

Se os salários são principescos ou não, não sei. Acredito que não sejam pois nas farmácias andam entre 10 e 20% da facturação.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

"sou farmacêutico, não gestor, esses estão todos na Marechal Saldanha". Eu diria que, felizmente há muitos farmacêuticos que não estão na Marechal Saldanha que não menosprezam o seu importante papel de gestor. Da última vez que verifiquei as farmácias ainda eram empresas e as empresas precisam de pessoal com competências de gestão.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Ó Azrael, homem, pense!!! Acha que a farmácia ganha mais se vender um de marca a 25EUR PVA (margem 18,4% + 1,15EUR) ou um genérico a 6 EUR PVA (margem 25,7% + 0,11EUR)?!

Marca: 5,75EUR
Genérico: 1,65EUR

Será que sabe fazer contas?!


# por Blogger Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Fantástico, fantástico é pegar num "testamento" com 15 items diferentes, muitos deles bastante pertinentes para observa de fora e até histórica e factualmente verdadeiros, pegar num dos menos importantes e a partir daí tentar descredibilizar toda a linha de argumentação sem refutar nada de substancial.Chama-se ruído de fundo e de facto, a ANF e o seu Presidente são peritos nisso. Só engana tolinhos desatentos que estejam do outro lado da barricada ou os limitados intelectualmente que estão do mesmo lado. Mesmo assim querer acreditar que que a renumeração dos "senadores" provêm exclusivamente da tesouraria da ANF é pueril. Esquecem-se é das as empresas parasitas e os jobs for the boys que se foram criando. Agora estão à rasca e berram muito . Os associados já são homenzinhos e portanto gostam de saber as estratégias da Associação à priori. Fazer jogo sujo instrumentalizando as Farmácias perante o caos que se irá gerar não é honesto para com os associados.
Se a sua farmácia, ou aquela onde trabalha tem capacidade financeira para aguentar o embate (que acabará em derrota), óptimo para si. No entanto, o dever das farmácias é garantir a acessibilidade do medicamento às populações. Para isso foram "concessionados" os alvarás. Se não cumprirem, só estão a dar legitimidade ao Estado para "concessionar" a quem apresente melhores condições, seja por economias de escala, seja por capital passível de ser injectado no sector. Uma coisa é certa, se não houver lucro no sector, ninguém lá quer espetar dinheiro. Obviamente que não é esse o caso e por isso, o medo, o luto e o espernear moribundo. Todos sabem quem está à espreita e o que isso significa. Dizer adeus a uma riqueza intangível que é o trespasse. Muitos ainda a têm que pagar à banca ( comprada por valores inflacionados).

Acrescem ainda os profissionais de Farmácia que começam a estar descontentes, maioritariamente jovens, sem emprego, ou em condições precárias, sem autonomia e independência para exercer a sua profissão livremente e com uma ordem profissional dominada pelos proprietários e com um sindicato com o colete de forças vestido, a desunião é uma mais que uma certeza. No tempo das "vacas gordas", o ordenado era bom, o patrão nunca estava e por isso fazia-se o que se queria e tinha-se status e dinheiro. Como eram em menor número e todos estavam felizes, os interesses da de proprietários eram iguais ou parecidos aos dos assalariados. Agora, que só uns comem (bastante menos é certo) e outros ficam com migalhas, o que acham que irá acontecer?

Haja bom senso.

Cumprimentos
# por Anonymous Espectador : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Lembram-se da saudosa Ivone Silva?

Este país é um colosso,
está tudo grosso,está tudo grosso.
Este país perdeu o tino,
a armar ao fino, a armar ao fino.
Isto é que vai uma crise,
prá esquerda...
Isto é que vai uma crise,
prá direita...

Aos anos que isto foi e cada vez mais certo.

Leitor esporádico
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Vocês continuam com argumentações comparando a ANF a alguma organização do género Bildeberg e por isso perdem com argumentos bacocos.



O "Farmacêutico" mais respeitável expôs o seu descontentamento e a sua opinião legítima.

Eu concordo com algumas partes e discordo de outras.

Acho bem que haja opiniões diferentes para que haja discussão, mas sempre com respeito mútuo.

Em relação às contas do outro Farmacêutico no Esomperazol , só lhe digo depende. Se você tem a certeza eu apenas lhe diria que eu não tenho tanta certeza do qual é mais vantajoso para a farmácia.
# por Anonymous Who Cares : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Esomeprazol, who cares. Não sabe o que é um "type error" pelos vistos.
# por Blogger Farmacêutico : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Caro farmacêutico, pensar é o que eu mais faço. E ao contrário de si que abomina a gestão, para mim a análise da margem dos produtos não se faz escolhendo um exemplo a dedo. Como sabe, a maior parte dos grupos homogéneos não se enquadram nesse exemplo.

Não sei o que é mais absurdo, o facto de acreditar que um exemplo tirado da cartola resume todos os grupos homogéneos ou se achar que as farmácias realmente só ganham 1,65€ em genéricos de 6 €. Se assim fosse de certeza que não ia haver dinheiro para salários.

Ignora a existência de descontos comerciais para além da margem legal?

Mas já que gosta, vamos a contas:

Zithromax, 500 mg x 3 comp revest
Pcusto=4,77
PVP s/IVA= 6,12
Mg= 1,35

Azitromicina Almus MG, 500 mg x 3 comp revest
Pcusto=1,96
PVP s/IVA= 3,77
Mg= 1,81

Outro:

Ben-U-Ron, 1000 mg x 18 comp
Pcusto= 1,80
PVP s/IVA= 2,25
Mg=0,45

Paracetamol Pharmakern MG, 1000 mg x 18 comp
Pcusto=0,56
PVP s/IVA= 1,67
Mg=1,11 (só mais do dobro)

É preciso mais contas ou chega-lhe?
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Exacto, como sempre vocês estão é preocupados com a perfeição, à procura dos erros dos outros para serem mais felizes.

Fiz copy paste do seu erro, porque fiz copy paste da sua citação que depois apaguei e nem reparei, mas sinceramente não sei o que isto acrescenta à discussão.

Esteja descansado que não vou estar à procura dos seus erros de português.
# por Anonymous Who Cares : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Espectador, 15 pontos mas quantos deles factuais e quantos deles opiniões? Mas respeito a liberdade de opinião dos outros. Não me diga é que a tenho que aceitar porque é extensa ou "pertinente".

O que eu escrevi foram números a refutar factualmente algumas dessas opiniões. Parece-me legítimo, não?
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

A ANF está a desagregar-se, até os associados já dão a cara... A ANF já não oferece protecção a ninguém... Era um lóbi, ou melhor um corderi...LOL

O reinado está a acabar, a mudança está ao virar da esquina... A farmácia enquanto grande negócio, que levava a trespasses na ordem dos milhões acabou...
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Jobs for the boys? lol Acho que está a confundir a ANF com um partido político, uma autarquia ou um ministério.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

A liberalização está a chegar, agora é que vamos ver os gestores...


# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Dê-lhe as boas vindas por mim então por favor.
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Finalmente as Farmácias vão ser livres, os usurários da ANF e da OF quando virem que já não dá os milhões a que estavam habituados, vão todos pular barco fora...

Que venham os Belmiros e afins, pagarem menos de 600 euros a farmacêuticos como fazem actualmente nas farmácias, duvido...

# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Se "já não dá os milhões" então "os belmiros e afins" também já não querem
# por Blogger Azrael : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Isso é o que vamos ver... Mas parece que eles estão à espreita...
# por Anonymous Anónimo : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Escreveu números a refutar algumas opiniões? Só vi opinião com refutada com números e mal. Aliás, ao responder a um anónimo o próprio emitiu uma opinião.

Não faço confusões, a minha profissão não mo permite. Já na sua área, quer me parecer que há quem tenha feito algumas, quer financeiras quer de estratégia. Sei o que significa jobs for the boys e estou a afirmar. E há mais exemplos, em outras empresas ligadas ao sector, nomeadamente armazenistas e outras ligadas à própria ANF. Mas o nó da forca está bem apertado, mas ainda vai apertar mais.

De resto, muito do que foi escrito aqui e especialmente o patente na carta aberta do associado continua intocável. O resto são apenas soundbytes. O que fica é o desconforto público que começa a emergir no seio da associação. Já não é só a plebe oprimida. É também a burguesia que já não quer seguir o líder.

Os Belmiros já não querem? Priva com eles à mesa de jantar ou está a emitir opinião? É legítimo.

Mesmo assim, a julgar pelo funeral e pelo berreiro parece que há muitos que têm opinião diferente.

Cumprimentos
# por Anonymous Espectador : terça-feira, outubro 23, 2012

 

 

 

Se ler o que escrevi repara que foi "Se já não dá os milhões então os belmiros não querem". Se querem é porque se calhar ainda dá alguns milhões.
# por Blogger Azrael : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

É a sua opinião. Respeito mas discordo por vários motivos que não vale a pena enunciar pois o seu resultado seria nulo, o farmacêutico e companhia aproveitariam a deixa para se queixarem de mais alguma coisa e no fim tudo não passava de opiniões. Vejamos o desfecho disto pois aí já teremos factos
# por Blogger Azrael : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

Vem Belmiro. Contigo, apesar do baixo preço dos medicamentos e da baixa de rentabilidade tu és grande! Nós sabemos que quando vieres, o ordenado mínimo do farmacêutico vais ser 2.000€...
Santa ignorância...
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

Azrael, tem que calcula a margem da farmácia sobre o PVA, não sobre o preço de custo ou PVP...
# por Blogger Farmacêutico : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

A margem é a diferença entre o preço a que vendo efectivamente e o preço a que compro efectivamente.

As contas que está a fazer, a partir do PVA são para calcular o preço máximo autorizado do medicamento, na prática, uma margem sobre o PVA que nem sequer se deveria chamar margem pois na verdade é um markup.

Como lhe disse, tem que entrar em linha de conta com as condições comerciais.
# por Blogger Azrael : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

O Azrael é que é o comerciante, não sou eu. Mas tem razão, parece-me.

PVP (s/ IVA) = PVA + MgA + MgF + feeF + Taxa INF

PVP (c/ IVA) = (PVA + MgA + MgF + feeF + Taxa INF) x 1,06

Façamos as contas para o Ben-U-Ron, 1000 mg x 18 comp que exemplificou.

PVP (s/ IVA) = PVA + MgA + MgF + feeF + Taxa INF

2,25 = PVA + 0,112PVA + 0,279PVA + 0,004PVP(s/ IVA) <=> 2,25 = 1,391PVA + 0,009 <=> PVA = (2,25 - 0,009)/1,391 <=> PVA = 1,61EUR

Então,

MgF = 0,279PVA = 0,279 x 1,61 = 0,45EUR

A margem da farmácia é calculada sobre o PVA e é mesma coisa que a diferença entre o preço a que vende efectivamente e o preço a que compra efectivamente.


# por Blogger Farmacêutico : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

Parece-lhe? Ainda com dúvidas lol

Não é a mesma coisa porque o preço a que compra efetivamente genéricos é inferior a pvp (s/IVA) - MgF (Calculada de acordo com a fórmula da DGAE). A não ser que o farmacêutico não tenha competências de gestão e as compras sejam mal feitas.

Pode ser que finalmente comece a aprender alguma coisa
# por Blogger Azrael : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

O Farmaceutico compra o que lhe apetece pq o patrão nele nao manda! e se ele quiser comprar 1 Ben-u-ron ao armazenista ele compra! Mesmo que tenha 500 no armazém comprados directamente ao laboratorio com desconto de mais 30% (financeiro), mas se ele quer compra 1!
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

O farmaceutico nunca ouviu falar de descontos comerciais. ele nao ouve os comerciais que vao a farmácia. ele sabe tudo menos isso pq ele é farmaceutico, nao merceeiro. nem faz ideia de onde vem o dinheiro para pagar o ordenado dele pq ele é farmaceutico e esta la para vender caixas, mas so do q ele acha que deve vender.

Santa ignorancia... Viu uma formula no outro dia para calculo da margem e ignora que há compras directas aos laboratorios. Acha q tudo se compra aos armazenistas (daí o PVA) mas o que interessa é o PVF (preço a que a farmacia compra)
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, outubro 24, 2012

 

 

 

Se por cada 7 Ben-U-Ron tenho 1 de bónus, gratuito, se comprar 100, tenho 14 de bónus com lucro 100%.

Ora: 14 x 2,25 (PVP s/IVA) = 31,50EUR de lucro.

Abatendo sobre o que paguei para comprar os 100 a preço de custo 1,80EUR é como se tivesse tido um desconto 17,5%.

Não sei se estou correcto, não sou merceeiro nem quero ser, não estudei para tal.

E sim, não suporto os "comerciais" (DIM) que vão à farmácia, metem-me nojo, repugnam-me, a falta de ética e o discurso economicista e do vender por vender agonia-me.

Se tiver em armazém não vou comprar ao armazenista coisa nenhuma, mas se não tiver, p.e., um Crestor e o utente precisar vou pedi-lo ao armazenista e quero que o patrão se **** se não gostar.
# por Blogger Farmacêutico : quinta-feira, outubro 25, 2012

 

 

 

*Se comprar directamente ao lab. posso conseguir ainda melhores condições, dependendo da quantidade. Mas quero que isso se ****, não foi para isso que fui contratado.
# por Blogger Farmacêutico : quinta-feira, outubro 25, 2012

 

 

 

Acho que ainda é isto que se discute aqui!!!

"O mercado de genéricos, em volume, tem vindo a crescer sustentadamente, tendo atingido os 5,4 milhões de embalagens dispensadas em Setembro de 2012, o que representa um crescimento homólogo de 13,6% e que é de realçar, tendo em conta que o mercado de medicamentos no mesmo mês até apresenta uma quebra (-2,6%). O reflexo desse crescimento está patente na quota de genéricos no mercado de medicamentos (em volume) referente a Setembro que atingiu 26,3% (uma subida de quase 4 pontos percentuais vs homólogo). No mês de Maio, antes da entrada em vigor do novo regime de prescrição por DCI, a quota de genéricos era de 24,8%, o que significa, assim, uma subida de 1,5 pontos percentuais em apenas 4 meses. Por outro lado, a quota de genéricos no mercado de Grupos Homogéneos (GH) em Setembro atingiu 60,4% vs 56,3% no homólogo, uma subida de 4,1 pontos percentuais no espaço de um ano. Paralelamente, no mês de Maio 2012, a quota de genéricos em GH era 58,3%, o que significa uma subida de 2,1 pontos percentuais em apenas 4 meses. Em contrapartida, o preço médio dos medicamentos genéricos dispensados pelas farmácias continua em tendência decrescente. Com efeito, considerando um índice de base 100 do preço médio dos medicamentos genéricos fixado a Janeiro de 2011, verifica-se que este índice foi baixando ao longo do tempo, atingindo o mínimo de 56,1 em Setembro 2012. O resultado deste decréscimo está evidenciado na contínua redução do mercado, em valor, de medicamentos genéricos que, em Setembro de 2012, para um crescimento em embalagens de 13,6% apresenta uma quebra de 28,1% em valor (-13,3 milhões de euros). Por fim, é de sublinhar que o mercado e a despesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS) com medicamentos continuam em queda. Em Setembro, o mercado de medicamentos apresenta uma quebra de 17,1% vs homólogo, estimando-se igualmente uma quebra na despesa do SNS com medicamentos de 16%."
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, outubro 25, 2012

 

 

 

confere com os meus números
# por Blogger Azrael : quinta-feira, outubro 25, 2012

 

 

 

E os bónus hoje em dia mantêm-se ainda decisivos, principalmente na gama dos genéricos, apesar do enorme corte comparativamente à 2 ou 3 anos.

O que mais me intriga é que de todos os estudos e análises que efectuam ao sector, raramente consideram os bónus, que antes das margens decretadas pelo Estado fazem enorme diferença.

Não dando um exemplo em concreto, (pois as margens variam por escalões de preço com referência para os PVA), mas considerando uma utópica margem média, apesar de referencial e reduzida para a farmácia em 20% e para a distribuição em 10%, um simples desconto de 25% sob a forma de bónus, tem resultado na margem de lucro bruta total de 73,3% (bastante distante da margem bruta acumulada de 30% (20% da farmácia e 10% da distribuição)).

Por exemplo, um medicamento com o PVA sem IVA de 10€ terá um PVF sem IVA de 13€.

Se o PVA = 10€, mas recebe um bónus de 25%, fica com um custo verdadeiro de 7,5€, o que significa que 13€/7,5€ = 73,3% de margem total.

Acham pouco, quando todos se queixam que a margem tem reduzido e por exemplo as farmácias apenas recebem em média cerca de 20% e a distribuição apenas 10%?

Quero aqui deixar bem claro que este exemplo foi criado de forma simples e com a intenção de ajudar a clarificar e esclarecer melhor a influência dos descontos na compra e na aquisição ao laboratório.

Claro que muitas condições se colocam, nomeadamente a compra em quantidade e o pagamento a muito curto prazo ou pp, bem como a condição de compra de outros medicamentos em pacote, etc, etc, etc.

Gostava de ouvir as vossas opiniões e se necessário o direito ao contraditório.

O debate é sempre positivo se todos ficarmos melhor no final, partindo do conhecimento inicial.

Muito obrigado.

Fernando meira
# por Anonymous Fernando Meira : quinta-feira, janeiro 10, 2013

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.