<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Trenguices 

Deixa-me rir: Infarmed - Alterações ao sistema de notificação de ruturas de stock

Peliteiro,   às  21:46

Comentários:

 

A ver vamos...

As esperanças são poucas,mas pode resultar!

 

 

 

Concluí o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas recentemente. Depois de passar por um estágio curricular, onde muita coisa ouvi e aprendi no que toca à chico-espertice, comecei a perceber que algo não estava bem no reino da farmácia. Não me enganei, mas com toda a certeza substimei a dimensão do problema. Depois de vários meses à procura de trabalho como farmacêutico e de várias entrevistas, cheguei à trágica e inevitável conclusão de que a profissão farmacêutica em Portugal está irremediavelmente podre. Por vários motivos, que passo a enunciar.

Para começar, os farmacêuticos ainda andam um bocado à nora, à procura do seu papel na sociedade actual. O avanço noutros países, e também em Portugal (se bem que por cá muito timidamente), tem sido no sentido de aproximar o farmacêutico de um profissional de saúde na verdadeira acepção do termo, ou seja, com uma verdadeira intervenção clínica, actuando na monitorização da terapêutica, na prevenção da doença ou até no diagnóstico e na terapêutica, com responsabilidades de prescrição, como no Reino Unido.

Em Portugal, contudo, é notório que a evolução tem sido no sentido da desvalorização progressiva do papel do farmacêutico na sociedade, tendo os decisores políticos olhado para ele mais como um custo acrescido, do que como um potencial elemento do sistema de saúde passível de acrescentar valor. Tanto assim é que nos últimos 5 anos várias medidas têm retirado ao farmacêutico a exclusividade que detinha em determinadas áreas, como sejam a responsabilidade técnica pelo medicamento de uso veterinário ou, mais recentemente, a dos medicamentos utilizados em imagiologia.
# por Anonymous Farmacêutico : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

Parece-me improvável, até porque julgo que isso contrariaria de forma demasiado evidente normas de boas práticas ao nível europeu e internacional, que os farmacêuticos sejam destituídos da exclusividade sobre, por exemplo, a direcção dos serviços farmacêuticos hospitalares ou até das farmácias comunitárias. Mas, honestamente, já não ponho de todo as mãos no fogo. Em Portugal, não me admiraria nada que numa eventual situação de liberalização da instalação das farmácias, os sectores da grande distribuição interessados em constituir redes nacionais de farmácias (como, por exemplo, a SONAE através da Well's) fizessem pressão para que, à semelhança das "parafarmácias" que vendem MNSRM, também as farmácias pudessem ser dirigidas, indiferentemente, quer por farmacêuticos ou técnicos de farmácia. Nem me admiro nada que, no limite, a própria ANF seja capaz de o sugerir, a bem dos bolsos dos donos de farmácia actuais.

Em relação, por exemplo, à direcção técnica na produção de medicamentos, parece-me muito provável que, mais cedo ou mais tarde, deixe de ser exclusividade dos farmacêuticos - e em relação a isto, até muito me admiro de ainda não ter sido alterado, porque noutros países, como no Reino Unido, aceitam profissionais com outras formações de base (p.e., Química, salvo erro) para assumir essa função (a chamada "Qualified Person").

Para além de toda esta área de competências turva, há o desemprego, a precariedade e a exploração a que grande parte dos farmacêuticos, nomeadamente os jovens, estão sujeitos. Na profissão, e isso fica claro mesmo logo desde os anos de faculdade, há dois tipos de farmacêuticos, uma espécie de sistema de castas: os proprietários de farmácia, no topo da hierarquia, e os assalariados. As diferenças entre ambos são colossais, ao nível das diferenças sociais típicas dos países terceiro-mundistas, não muito diferente do que sucede no Brasil ou em Angola, onde uma pequena oligarquia detém mais de 90% da riqueza. Pois bem, na classe farmacêutica portuguesa é assim - e é-o cada vez mais, com a crise económica, e com a sede exploratória dos patrões.
# por Anonymous Farmacêutico : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

O Sindicato Nacional dos Farmacêuticos, infelizmente, não tem qualquer força nas tomadas de decisão, não passando de um verbo-de-encher. Gabo-lhes o esforço, contudo! É que, compreensivelmente, a maioria dos farmacêuticos assalariados não está para pagar quotas a duas partes, por isso não se sindicalizam - é obrigatório estar inscrito na Ordem dos Farmacêuticos (e assim poder exercer a profissão) e, para tal, é preciso pagar as quotas (mais de 100 EUR/ano) e participar periodicamente em acções de formação dispendiosas para revalidar a carteira profissional (desde 75 EUR até, muitas outras, mais de 300 EUR!). Agora imaginem o que um farmacêutico assalariado, com sorte a receber 700/800 EUR brutos por mês (com descontos dá 500/600 e tal EUR) e a ter de sustentar Ordem e Sindicato - pura e simplesmente não dá.

Em relação à Ordem, bom, a Ordem dos Farmacêuticos é há muito tempo uma coutada da ANF e do João Cordeiro, por isso a Ordem, apesar de dizer o contrário, não defende todos os farmacêuticos. A Ordem está-se borrifando para a situação que muitos jovens farmacêuticos estão actualmente a viver, porque defender a dignidade do trabalho e dos direitos laborais não convém aos donos de farmácia (ou seja, aos associdos da ANF). Por isso, vai fazendo de surda e muda, como lhe convém.

Eu não sei o que é que a Ordem pensa fazer no futuro, mas presumo que não possa continuar a exigir quotas e revalidação da carteira profissional através da frequência das tais ditas acções de formação caríssimas quando há tantos farmacêuticos que só conseguem encontrar emprego em part-time e a fazer férias de outros funcionários - e onde para tal 400 EUR já é visto como uma remuneração excessiva - e outros tantos desempregados de longa duração. É uma vergonha, mas é a realidade com que nos deparamos.

Muito mais poderia ser dito, mas eu prefiro deixar uma nota final a qualquer jovem estudante a concluir o 12.º Ano de escolariade e que, eventualmente, esteja a pensar concorrer ao Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas. O meu conselho é FUJAM! Não acabem com a vossa vida, não percam 5 anos de estudo árduo e intenso para depois serem usados e abusados. O excesso de oferta leva as pessoas a aceitarem ordenados baixos que não se coadunam de todo com o trabalho que depois têm de realizar. E já ninguém nos respeita pelo que fazemos, estamos reduzidos à figura de um mero aviador de receitas e balconista, e as outras classes profissionais da área da saúde (médicos e enfermeiros) já nem nos respeitam (basta ver os constantes ataques do bastonário dos médicos aos farmacêuticos). Ou seja: é deprimente.
# por Anonymous Farmacêutico : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

PS: Quero só acrescentar que isto é muito por culpa dos farmacêuticos portugueses, especificamente dos que foram proprietários de farmácia nas várias décadas em que a propriedade foi exclusividade do farmacêutico. Não valorizaram a profissão e os seus actos próprios e deixaram transparecer a imagem de que é indiferente estar atrás do balcão da farmácia um farmacêutico ou um mero ajudante técnico - e só recentemente com o 12.º Ano, no mínimo, mais um cursozeco básico, que até a própria ANF promove activamente! Limitaram-se a arcar com os rendimentos brutais das farmácias e a ostentar o luxo daí decorrente, sem pensarem em investir o mesmo no capital humano farmacêutico da farmácia: a sua lógica foi sempre a de um mínimo de farmacêuticos na farmácia. Só que durante muito tempo, o mercado escoava para as várias áreas de actividade, actualmente já nem para farmácia comunitária flui ininterruptamente. O futuro dos farmacêuticos jovens em Portugal é negro, até porque se eventualmente a liberalização da instalação de farmácias ocorrer e a grande distribuição entrar no sector, farão força para que, por lei, seja obrigatório apenas um farmacêutico por "loja" (director técnico), como já acontece com as Well's e afins, em que até um técnico de farmácia pode ser o responsável técnico - para além disso, até a própria ANF e o seu "mentor" João Cordeiro já fazem pressão junto do Governo para eliminar a obrigatoriedade de dois farmacêuticos por farmácia, com o argumento da insustentabilidade financeira das farmácias.
# por Anonymous Farmacêutico : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

Parabéns ao Estagiário que já é Farmacêutico de corpo inteiro! :)

Queria só acrescentar que 100 euros por ano de quota da ordem é só no inicio. Depois, sobe sobe, e quando der conta já vai nos 220...

Quanto ao tema desta posta, é claramente uma comédia. "Notificar, com a antecedência mínima de três meses, as ruturas de stock transitórias, salvo casos de urgência devidamente justificada."?! Então têm 3 meses para avisar da ruptura de stock, mas não têm tempo para produzir mais para fazer face a essa ruptura? Não entendo estes meandros...
# por Blogger GreenMan : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

Concordo com tudo o que o
@Farmacêutico disse!

Só falta a palavra DESILUSÃO algures pelo texto!!
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

Portugal devia fechar as universidades... Formam-se pessoas com qualidade para irmos trabalhar para outros países, (pagar impostos para sustentar universidades desses países) ou para fazer o que poderíamos fazer com o 12º ano! É uma estratégia muito pouco custo-efectiva...
# por Blogger sirk : quinta-feira, maio 24, 2012

 

 

 

Concordo com o Farmacêutico.

É triste ser jovem farmacêutico em Portugal. Simplesmente triste.

Se hoje estivesse a escolher o curso que iria fazer, não seria este de certeza. Viver do ar ninguém vive e viver em humilhação é triste.
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, maio 25, 2012

 

 

 

Ouvi dizer que a Ordem está a celebrar um acordo com a ANF para permitirem o uso de chicote na Farmácia. A ordem já alterou a tabela salarial, a pena inicia-se em Farmacêutico escravo grau V a grau I, quanto menor o grau menor o número de chicotadas. O dono passa a ser chamado de Sr. Dr. Mestre e usa cartão dourado da Ordem dos Farmacêuticos donos de farmácia com o autógrafo do venerável Bastonário... O Bastonário como o próprio nome diz passa a ter autorização para dar "bastonadas" nos farmacêuticos que se recusem a pagar o dizimo, ou quotas... O Robin das Farmácias já disse que pretende acabar com o reinado de Mauricius e Corderius. Os donos de Farmácias passam a estar isentos de quotas. Nas farmácias que só tenham um farmacêutico, este pode ser acorrentado ao balcão para se habituar à ideia de que vai estar preso e que as férias acabaram...
# por Anonymous Anónimo : sábado, maio 26, 2012

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.