<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


terça-feira, 1 de julho de 2008

Interpelação a Correia de Campos 

Já me esquecia de vos contar, entretido que andei com o caso povoaoffline.
Ontem, como vos tinha dito, almocei com o meu arqui-inimigo Correia de Campos e, na sobremesa, decorreu um interessante debate (debate público, pelo que não me parece deselegante reproduzi-lo, em parte, sem transcrições rigorosas, recorrendo apenas à memória).

Uma colega, Administradora Hospitalar, perguntou-lhe sobre a execução de análises clínicas a todos os doentes do SNS pelos Hospitais, ao que o ex-Ministro respondeu vagamente - como quem diz, isso para mim são pormenores muito pequeninos, eu gosto é de falar dos 8 mil milhões da saúde, de números grandes -, com um certo desinteresse, de certa forma enfastiado: sei que está para sair legislação, mas não estou bem informado, diz-se que o sector está a cair nas mãos de multinacionais, investidores Angolanos, mas que se há-de fazer a nossa petrolífera também está nas mãos de Angola, este é o mundo em que vivemos.

Ora, curiosamente, eu estava já inscrito para intervir a seguir e, embora este assunto não se relacionasse com a questão que tinha planeado, irritado pela postura distante de Correia de Campos a quem pouco interessa o destino de todo um sector de actividade, levantei-me e a 3 metros de distância, olhos nos olhos, disparei mais ou menos assim:
«Tentando acrescentar alguma informação sobre o sector das análises clínicas, que conheço bastante bem, queria dizer-vos que em 2006 a entidade reguladora da saúde elaborou um relatório em que se podia ler que no sector a fraude era generalizada, as Misericórdias funcionavam como barrigas de aluguer e cerca de 20% dos serviços pagos pelo Estado não eram nunca prestados, eram actividades fictícias; que as convenções estavam bloqueadas desde 1997 e o Ministério da Saúde proporciona um constante clima de instabilidade - neste momento discute-se a possibilidade da nacionalização dos MSDT à semelhante ao ocorrido na ULS de Matosinhos - e de desprezo pelas relações de parceria com os prestadores o que leva a uma concentração desproporcionada, com as empresas a serem detidas por capital proveniente de offshores ou de capitais de risco e o sangue dos portugueses a serem enviadas para o estrangeiro, resultando num sector estagnado em que ninguém investe em equipamentos, ninguém contrata ou investe em pessoal, em formação, ninguém investe em qualidade - este é o panorama Sr. Ministro, Caros Colegas.

Queria agora perguntar ao Sr. Ministro Correia de Campos, que nos veio falar do fio condutor das políticas de saúde, que nos esclarecesse sobre o fio condutor da política do medicamento, matéria que não foi ainda aqui abordada.»

Por esta altura, tinha-se instalado um silêncio sepulcral, gélido, e Correia de Campos estava um pouco surpreendido e, pareceu-me, um tanto embaraçado, começando por responder:
- A indústria farmacêutica, blá, blá, blá, por todo o mundo anda a comprar fábricas de genéricos, é uma tendência mundial, blá, blá, blá, a nossa indústria não consegue acompanhar as empresas internacionais, não inova, vem-nos pedir auxílio mas nós não podemos estar a subsidiar a ineficiência...
Aproveitando uma pausa e uma altura em se dirigia directamente a mim, retorqui:
- Desculpe mas não era bem isso que queria saber, referia-me aos medicamentos na Farmácia ao que podem os doentes esperar...
- Ora que quer que lhe diga Sr. Dr., não sou nenhuma Pitonisa, não adivinho o futuro, o que havia a fazer foi feito...
- Porque não instituiu a prescrição por DCI, porque não abriu nem uma Farmácia?
- Mas eu abri Farmácias...
- Nem uma!
- Havia umas de uns concursos pendentes no Infarmed...
- Continuam pendentes! Nem uma!
- Vê como é o Infarmed? Por isso é que mudamos as regras, para no futuro simplificar esse processo, além do mais, como sabe muito bem, Sr. Dr., nos concursos das Farmácias nos Hospitais apareceram concorrentes a dar 35% e a ANF ficou em 2º lugar em alguns deles, o que como bem sabe Sr. Dr., é sinal que ganham muito dinheiro com os bónus, compram 100 caixas de um genérico e os laboratórios dão-lhe 200, alguém um dia vai ter que acabar com isso, a ANF se ficou em 2º lugar é porque sabe como funciona isso e o Sr. Dr. também sabe muito bem.
- Não é verdade, sei que esses 35% de que fala não vêm dos bónus, não sei de onde vem, mas não vêm dos bónus, um valor desprezível.

O moderador, Prof.º Jorge Simões, foi interrompendo o agora diálogo, deu por terminado a sessão, agradeceu a Correia de Campos pelos ensinamentos que nos deixou e ele não conseguiu deixar de dizer:
- Estamos todos sempre a aprender com todos, não sabia aquilo dos 20%, não conhecia esse número...
E eu, já em andamento
- Esse número não é meu Sr. Ministro, é da sua ERS! De 2006!

Peliteiro,   às  23:36

Comentários:

 

Wow!

 

 

 

Parabéns por ter feito essa intervenção. Para nos confessar ter sido bastante gélido o ambiente nessa altura, significa que realmente estava a "tocar numa ferida" bastante incómoda.

Outro ponto que queria comentar é os tais 35% que essas entidades concorrentes às Farmácias em Hospitais conseguiram apresentar para ganhar os lugares. Primeiro de tudo o comentário do Sr Ex-Ministro revela falta de informação: os bónus de medicamentos genéricos dificilmente podem representar um valor assim tão grande no lucro. Segundo, se o Sr Ex-Ministro, a quem certamente foi apresentado esses dados dessas entidades concorrentes, não sabe explicar os 35% de lucro ao Estado, então quem é que explica? Porquê esta falta de transparência?

E como é que se justifica convidarem uma pessoa para um debate e esta responder com argumentos que mudam o assunto ou mesmo admitir de modo mais exposto que não está "bem informado" sobre certos assunto.

Ridículo.

Muitos parabéns mais uma vez pela intervenção e por ter partilhado mais esta pérola do seu "arqui-inimigo". (seu e não só!) :)
# por Blogger Andie : quarta-feira, julho 02, 2008

 

 

 

Portanto não foi bem um almoço.
Foi uma espécie de lanche de Carnaval, onde depois dos comes e bebes, se assistiu à actuação do palhaço.
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, julho 02, 2008

 

 

 

Olá Mário,
Parabéns pela sua brilhante intervenção... de facto, esse indivíduo mete dó...mete os pés pelas mãos e fica muito rapidamente sem argumentos válidos,desculpando-me a expressão, o homem é um nojo...
Agora brincando... é quase ocasião para dizer... Bravo SUPER MÁRIO!!!
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, julho 02, 2008

 

 

 

Parabéns e grande abraço. FBM
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, julho 04, 2008

 

 

 

Muito obrigado pelo "post".

Há muita gente que "endeusa" CC, embora por aqui e nós também, sabemos que CC nunca foi flor que se cheire, basta olhar para o seu percurso.

Parabéns.
# por Anonymous Anónimo : sexta-feira, julho 04, 2008

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017      Dezembro 2017      Abril 2018      Maio 2018      Outubro 2018     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.