<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Correia de Campos não tem razão na questão das urgências 

É um dado adquirido que temos uma Polícia Judiciária das melhores do mundo. Ouvimos isto constantemente e portanto esta ideia constitui para nós uma verdade quase indiscutível. Esquecemo-nos é do caso Casa Pia, do caso Joana, Maddie, Furacão, Noite Branca, etc., etc..
O Benfica também é o maior clube português, não-sei-quantos milhões de adeptos, um passado glorioso, jogadores lendários, uma mística única, um estádio grandioso. Para a grande família benfiquista isto é um dogma. Esquecem-se é dos resultados desportivos do presente, que semana após semana, ano após ano, não têm sido suficientes para apagar a memória dum passado longínquo e irrepetível.
Correia de Campos tem uma reputação invejável como especialista em políticas de saúde e em economia de saúde e dizem ter um currículo ímpar de investigador, professor, e governante. Esta é uma perspectiva, mas há quem defenda outra, há quem defenda que tudo se resume ao perfil de um burocrata, de uma carreira académica sem brilho, de nomeações públicas por fiéis amizades políticas e de uma boa fama cultivada à custa de uma muito boa imprensa. Certo é que o Ministro da Saúde iniciou funções governativas na área da saúde em 1979 e é difícil vislumbrar marcas indeléveis, reformas valiosas, na sua actuação.

A reforma das urgências de Correia de Campos parece-me a mim ter uma boa fundamentação e parecem elaboradas em colaboração com os especialistas mais competentes de que o país dispõe. Há com certeza serviços de saúde que de urgência apenas têm o nome, que não têm as mínimas condições de funcionamento, que atendem um número reduzido, insustentável, de doentes e consequentemente faz sentido, tem toda a lógica, concentrar e racionalizar recursos para, com menos despesa, servir melhor as populações.
As pessoas percebem isto, não são estúpidas, e percebem-no facilmente. O problema não é então de comunicação como a toda a força nos querem fazer acreditar. O problema é que as pessoas não acreditam nos políticos, não acreditam que a dita reforma das urgências obedeça a uma lógica de benefício e de preocupação para com as populações, mas antes a uma lógica de contenção do défice e da despesa pública, à custa do desinvestimento no SNS e do fomento de seguradoras e de prestadores privados de saúde. O problema é o modo como a reforma está a ser implementada, encerrando os antigos e supostamente ineficazes serviços mas não oferecendo logo uma alternativa melhor, mais confiável, em muitos casos não oferecendo mesmo nada. O problema são os casos que vamos tendo conhecimento, os cenários tristemente terceiro-mundistas, a inumanidade com que tratam os doentes, a facilidade com que se morre sem assistência.

Do Ministro Correia de Campos conheço bem o seu desempenho no sector das Farmácias e no sector das Análises Clínicas e acompanho com razoável interesse – como cidadão e como profissional de saúde - o seu desempenho global na pasta da saúde. No início desta legislatura prometeu mundos e fundos, anunciou amanhãs que cantam e as expectativas eram enormes; o ímpeto reformista parecia imparável e a espada de Dâmocles pairava ameaçadora – Apagados os holofotes e eliminada a espuma do tempo, constata-se que a montanha pariu um rato, entrada de leão saída de sendeiro, tudo na mesma como a lesma.
Não acredito que Correia de Campos tenha razão nesta questão das urgências pelo simples facto de que nunca conseguirá implementar uma reforma tão complexa e tão importante, que nem sairão beneficiadas as populações, nem sequer as finanças públicas. Não tem competência nem força para tanto. Todos os dias se avolumam os indicadores para mais este insucesso.
E cada vez mais o povo julga que Correia de Campos não tem razão na questão das urgências.

Publicado no FARMÁCIA.COM

Peliteiro,   às  22:58

Comentários:

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.