<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Não 

Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez,
se realizada por opção da mulher,
nas primeiras dez semanas,
em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?

É um assunto complexo e difícil. É difícil manter uma opinião válida para casos tão diferentes, para situações tão diversas, para tantas vidas. Tenho sempre dúvidas quanto a este tipo de questões. Muitas dúvidas.

Todavia, algumas convicções tenho: a vida é um valor supremo; um feto com 10 semanas é um ser humano; abortar é matar; o aborto nunca poderá ser um método contraceptivo; os direitos e os deveres do pai são exactamente iguais ao da mãe; o aborto, que não é uma doença, não deve ser financiado pelo SNS.

Assim, mantendo muitas das minhas dúvidas e indecisões, e respondendo apenas à pergunta que foi formulada para o referendo, posso dizer que não concordo. Uma mulher não deve poder abortar livre e ilimitadamente, até aos dois meses e meio, com a cumplicidade total da sociedade.

Podem dizer que é uma posição hipócrita, já que os abortos ilegais prosseguirão, realizados em vãos de escada e em clínicas de Badajoz. Talvez. Talvez prossigam também se o resultado do referendo for sim. Mas maior hipocrisia é encarar o aborto como solução única sem que antes sejam tomadas medidas sociais que contribuam para prevenir gravidezes indesejadas e apoiar mães necessitadas.

Termino, lamentando a utilização destes temas ditos "fracturantes" como instrumento de propaganda política, esquecendo os dramas pessoais que esta questão encerra. Esperemos que a "campanha eleitoral" decorra com elevação e que, caso o não vença, não sejamos obrigados a referendar a mesma questão daqui a uns poucos anos.


Peliteiro,   às  00:05

Comentários:

 

Por todas as razões que aponta e por outras tantas, encontro-me num grande dilema! (até porque esta temática não se pode reduzir ao 1X2 do totobola...)

É verdade que ainda tenho uns dias para pensar/repensar mas, quanto mais proximo do dia do referendo maiores se tornam as minhas duvidas...

Já agora, deixo-lhe uma pergunta com a qual me debato... será o voto em branco um voto cobarde?

 

 

 

A(o) Vasco Boga, a minha opinião em http://chuvafriocaloreseilamaisoque.blogspot.com/2007/01/minha-coerncia-vida-no-referendvel.html

Um abraço.
# por Blogger naoseiquenome usar : segunda-feira, janeiro 15, 2007

 

 

 

Será que a minha consciência e vontade é mais importante do que a de outra pessoa?

Será que por eu não por a questão da realização de um "aborto" não posso deixar a outro(a) essa mesma decisão?

É engraçado que quando se fala de economia, temos os chamados partidos de direita a serem por uma maior liberalização, a autonomia de decisão a vontade propria, etc... quando falamos de aspectos sociais, como seja aborto, consumo de drogas, prostituição, etc... passam a ser liberais os outros.

Estou a ficar, cada vêz mais, radicalmente liberal

Vou votar "Sim".
# por Blogger Nuno Pimentel : segunda-feira, janeiro 15, 2007

 

 

 

Eu seria incapaz de pedir a alguém que estivesse grávida de um filho meu para fazer um aborto. Aliás, tudo faria para o evitar. E também não acho que o SNS deva gastar sequer um tostão com a realização de abortos. No entanto, vou votar sim, por um conjunto de razões:
- Liberdade individual - apesar de tudo, considero que é a mulher quem tem o direito de decidir o que se passa no interior do seu útero;
- Humanismo - têm vindo a público histórias verdadeiramente dramáticas;
- Porque tenho as minhas dúvidas relativamente ao argumento da "vida" (para mim vida é quando o feto tem capacidade de sobreviver fora do organismo da mãe);
- Por causa do flagelo do aborto clandestino;
- Por causa dos elevadíssimos custos ocultos que o SNS actualmente já paga devido às consequências de abortos feitos à balda.
# por Anonymous Anónimo : quarta-feira, janeiro 17, 2007

 

 

 

Se é contra então deve votar Não e não Sim. Não se deve confundir liberdade com libertinismo e não se deve ir pela via do facilitismo. Aliás no meu Blogue já publiquei um artigo sobre o assunto
# por Anonymous Anónimo : quinta-feira, janeiro 18, 2007

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017      Dezembro 2017      Abril 2018      Maio 2018      Outubro 2018     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.