<$BlogRSDUrl$> Impressões de um Boticário de Província
lTradutor Translator
Amanita muscaria

Impressões de um Boticário de Província

Desde 2003


quarta-feira, 16 de março de 2005

Explicações 

Anteontem tinha prometido não voltar ao tema das Farmácias.
Continuo a pensar que tudo isto não passa de uma campanha política que há pouco tempo caracterizei aqui como sendo ao estilo "au au": os políticos pegam num osso, os jornalistas atiram-no e nós, os cachorrinhos amestrados, vamos buscar o pau, com latidos de satisfação e abanar a caudinha, au au...
Não é de facto por causa dos políticos que me envolvi nesta discussão de tolinhos e que me levou a escrever sobre ela tantas vezes - e hoje de novo!

Mas a verdade é que esta questão me irritou. E é isto que queria explicar, sem segundas intenções, e sem mandato de ninguém.

São três as ordens de razões, do mais geral para o mais particular:

a) Acredito que a venda dos MNSRM em hipermercados, gasolineiras, tascos, mercearias, é má para os Portugueses. Os Ingleses e os Americanos é que estão errados - não nós! Por razões de saúde pública, pela banalização dos medicamentos, porque os benefícios não superam os potenciais prejuízos. Acredito também que o regime da propriedade e da instalação - um dos temas que surge por arrasto - está correcto tal como está (embora seja imperioso abrir concurso para muitas mais Farmácias - não se admite estar de serviço uma só Farmácia ao fim de semana na Póvoa seja Inverno ou seja Verão - e obrigá-las a abrir por um período mais longo de tempo. Já discorri sobre estes assuntos inúmeras vezes aqui e não é altura de repetir toda uma argumentação.
Admito que esteja errado ou tenha uma perspectiva deformada. Mas são convicções, e convicções defendem-se.

b) Acredito que estas medidas avulsas e mal planeadas serão um rude golpe para a profissão Farmacêutica. Uma classe que ao longo do tempo vem participando cada vez mais na promoção da saúde em Portugal - seja pela excelente rede de distribuição construída, seja pela notória melhoria dos serviços farmacêuticos propriamente ditos, ou pela intervenção na educação das populações em saúde e na profilaxia da doença, ou ainda pelos programas desenvolvidos (seringas, diabéticos, valormed, metadona, hipertensão...) - vê agora desbaratado este meticuloso trabalho e remetido para um qualquer sector de uma mercearia ou quiosque.
Não é uma questão de vaidade. Entenda-se antes como uma severa perda de dignidade profissional. Sou Farmacêutico e considero essa situação degradante, revoltante.

c) Acredito que a maior parte dos Portugueses - pelo menos ao que se lê - é favorável ao estripamento em praça pública da classe Farmacêutica. Lobistas, monopolistas, sugam o dinheiro do povo... Nunca imaginei que tivéssemos uma imagem tão má, tão execrável. Culpa nossa, seguramente!
E nisto, erradamente talvez, vejo uma ingratidão que pessoalizo, erradamente talvez, já que ao longo de alguns anos de exercício tantas vezes procurei ajudar tantos. Mesmo na perspectiva económica, muitas vezes recusei vendas, muitas vezes desaconselhei compras. Tenho a consciência de que - sem querer ser piegas que não sou nada dessas coisas - ajudei muitas pessoas, aconselhei-as o melhor que sabia e podia, trabalhei para elas e agora descubro que, afinal, elas me viam como um vampiro, sempre com o intuito de lhes sugar mais umas moedas.

E pronto, já desabafei, já me sinto melhor, para isto é que serve um blogue - melhor ficaria se esmurrasse as ventas a alguns blogadores e comentadores de blogues mas isto passa.

Etiquetas:


Peliteiro,   às  23:53

Comentários:

 

Aqui estou, de peito feito e cara pronta a ser esmurrda caso o mereça. Em relação à chamada liberalização do MIDRM concordo que é uma medida pouco consensula e toma de modo avulso e desenquadrado. E parece ter sido pouco pensada... o caso da "pilula do dia seguinte" ainda vai dar mts dores de cabeça. A mim não me revolta nada que exista paracetamol ou hidróxido de aluminio à venda nos hiper. Toda a gente os etm a disposiçã na sua farmácia caseira que vai constituindo com sobras de receitas e compras avulso em framácias...

 

 

 

... o que é importante é o grau de cultura e informação de saúde que existe na população, e em Portugal é mt baixo: provavelmente menos de 5% das pessoas é capaz de ler e entender 1 bula. Esta politica existe em paises onde essa cultura é elevada e é por isso que ocorrem os agora tão propalados riscos: os igleses suicidam-se com paracetamol pq sabem que tomando 12 comprimidos dessa pilula inocente isso pode mesmo acontecer e sabem qie se tomaram 20 do perigoso Valium apenas ficam a dormir umas horas. O risco não existe só pq estão á venda em supermercados...
# por Blogger Gasel : quinta-feira, março 17, 2005

 

 

 

... e por outro lado ambos sabemos que em... digamos 50% das farmácias o garu de informação adequada ao utente é péssimo. E já agora: quais as habilitações exigidas a um ajudante de farmácia? (q é que, invaraivelmente dá essa informação). Como e quando e por quem é que é , regularmente, avaliado da sua competência?
# por Blogger Gasel : quinta-feira, março 17, 2005

 

 

 

... por último: a propriedade das farmácias. Aí não têm razão nenhuma: misturar dono de negócio com direcção técnica é promíscuo. A clara separação das águas é sempre desejável!
PS: desculpem a troca de letras, sou disléxico...
# por Blogger Gasel : quinta-feira, março 17, 2005

 

 

 

Já vi que tenho aqui informação que me interessa para ler.
Voltarei com mais vagar. Entretanto deixo um abraço, amigo Sá, e o desejo de um bom fim de semana.

ps - o sistema de comentários do post acima revela "not found". Por isso, registei aqui a minha passagem.
# por Blogger eduardo : sexta-feira, março 18, 2005

 

 

 

A imagem dos farmacêuticos é boa.
Todavia isso nada tem a ver com o corporativismo quanto á abertura de farmácias nem quanto ao problema da propriedade delas.
São coisas diferentes.

No post acima, incomentável por erro técnico, gostei sobretudo da piperidina....
# por Blogger mfc : sábado, março 19, 2005

 

 

 

Querido Boticário:
Gostaria muito de ler o seu blog com a devida atenção.
Mas a coluna excessivamente larga, faz-me lembrar pela sua ilegibilidade o Diário de Notícias de outrora (na largura, esse era colunado)
Seria demais pedir que arranjasse outro template? Assim com uma lauda mais estreitinha?
Beijos e continue a escrever, pois fá-lo bem. Sobre farmácias há muito a dizer.
Beijos.
T
# por Blogger T : sábado, março 19, 2005

 

 

Enviar um comentário


 

 

 

ARQUIVOS

Maio 2003      Junho 2003      Julho 2003      Agosto 2003      Setembro 2003      Outubro 2003      Novembro 2003      Dezembro 2003      Janeiro 2004      Fevereiro 2004      Março 2004      Abril 2004      Maio 2004      Junho 2004      Julho 2004      Agosto 2004      Setembro 2004      Outubro 2004      Novembro 2004      Dezembro 2004      Janeiro 2005      Fevereiro 2005      Março 2005      Abril 2005      Maio 2005      Junho 2005      Julho 2005      Agosto 2005      Setembro 2005      Outubro 2005      Novembro 2005      Dezembro 2005      Janeiro 2006      Fevereiro 2006      Março 2006      Abril 2006      Maio 2006      Junho 2006      Julho 2006      Agosto 2006      Setembro 2006      Outubro 2006      Novembro 2006      Dezembro 2006      Janeiro 2007      Fevereiro 2007      Março 2007      Abril 2007      Maio 2007      Junho 2007      Julho 2007      Agosto 2007      Setembro 2007      Outubro 2007      Novembro 2007      Dezembro 2007      Janeiro 2008      Fevereiro 2008      Março 2008      Abril 2008      Maio 2008      Junho 2008      Julho 2008      Agosto 2008      Setembro 2008      Outubro 2008      Novembro 2008      Dezembro 2008      Janeiro 2009      Fevereiro 2009      Março 2009      Abril 2009      Maio 2009      Junho 2009      Julho 2009      Agosto 2009      Setembro 2009      Outubro 2009      Novembro 2009      Dezembro 2009      Janeiro 2010      Fevereiro 2010      Março 2010      Abril 2010      Maio 2010      Junho 2010      Julho 2010      Agosto 2010      Setembro 2010      Outubro 2010      Novembro 2010      Dezembro 2010      Janeiro 2011      Fevereiro 2011      Março 2011      Abril 2011      Maio 2011      Junho 2011      Julho 2011      Agosto 2011      Setembro 2011      Outubro 2011      Novembro 2011      Dezembro 2011      Janeiro 2012      Fevereiro 2012      Março 2012      Abril 2012      Maio 2012      Junho 2012      Julho 2012      Agosto 2012      Setembro 2012      Outubro 2012      Novembro 2012      Dezembro 2012      Janeiro 2013      Fevereiro 2013      Março 2013      Abril 2013      Maio 2013      Junho 2013      Julho 2013      Agosto 2013      Setembro 2013      Outubro 2013      Novembro 2013      Dezembro 2013      Janeiro 2014      Fevereiro 2014      Março 2014      Abril 2014      Maio 2014      Junho 2014      Julho 2014      Setembro 2014      Outubro 2014      Novembro 2014      Dezembro 2014      Janeiro 2015      Fevereiro 2015      Março 2015      Abril 2015      Maio 2015      Junho 2015      Julho 2015      Agosto 2015      Setembro 2015      Outubro 2015      Novembro 2015      Dezembro 2015      Janeiro 2016      Fevereiro 2016      Março 2016      Abril 2016      Junho 2016      Julho 2016      Agosto 2016      Setembro 2016      Outubro 2016      Novembro 2016      Dezembro 2016      Janeiro 2017      Fevereiro 2017      Março 2017      Maio 2017      Setembro 2017      Outubro 2017      Dezembro 2017      Abril 2018      Maio 2018      Outubro 2018      Janeiro 2019      Fevereiro 2019     

 

Perfil de J. Soares Peliteiro
J. Soares Peliteiro's Facebook Profile

 


Directórios de Blogues:


Os mais lidos


Add to Google

 

 

Contactos e perfil do autor

 

 

Portugal
Portuguese flag

Blogues favoritos:


Machado JA

Sezures

Culinária daqui e d'ali

Gravidade intermédia

Do Portugal profundo

Abrupto

Mar Salgado

ALLCARE-management

Entre coutos e coutadas

Médico explica

Pharmacia de serviço

Farmácia Central

Blasfémias

31 da Armada

Câmara Corporativa

O insurgente

Forte Apache

Peopleware

ma-shamba



Ligações:

D. G. Saúde

Portal da Saúde

EMEA

O M S

F D A

C D C

Nature

Science

The Lancet

National library medicine US

A N F

Universidade de Coimbra


Farmacêuticos sem fronteiras

Farmacêuticos mundi


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Creative Commons License
Licença Creative Commons.